A bateria gigante de Elon Musk na Austrália já rendeu $1 milhão

Por , em 30.01.2018

No dia 1º de dezembro de 2017, o sistema de bateria 100MV da Tesla entrou em funcionamento no sul da Austrália depois de ser construído em apenas 100 dias, a pedido do próprio Elon Musk.

A bateria já provou que é útil. No dia 14 de dezembro, uma termelétrica a carvão mineral passou por um problema e teve que interromper sua geração de energia. Em milissegundos, a bateria da Tesla já estava fornecendo energia para a rede da região.

Agora ela prova que além de útil, é também rentável. De acordo com um relatório da Renew Economy, site australiano especialista em energia renovável, o sistema de baterias da Tesla pode ter gerado aos seus donos, Neoen, cerca de $800 AUD (US$800 mil ou R$2.547,02) em poucos dias.

Atualmente, 70/MW/39MWh da capacidade da bateria está reservada para o governo do estado Austrália Meridional em casos de necessidade. Já o restante, 30MW/90MWh, está sob controle da Neoen. A empresa tem vendido sua produção por $14 (R$36) por MWh nos dias 18 e 19 de janeiro de 2018, enquanto não pagava quase nada para gerar eletricidade.

O governo da Austrália tem grande interesse nas baterias Tesla porque há anos vem enfrentando problemas de geração de energia, com termelétricas antigas que não funcionam bem, altas temperaturas e com a inconsistência da geração de energia solar e eólica. Algumas regiões do país têm enfrentado altos preços de energia e blackouts frequentes.

A bateria é resultado da parceria entre a francesa Neoen e da Tesla, que criou o design eficaz da bateria. A bateria tem a mesma tecnologia que as baterias dos carros Tesla. Ela é conectada a uma fazenda de energia eólica australiana e é a maior bateria de lítio do mundo, sendo descrita por Musk como três vezes mais poderosa que a próxima melhor bateria do mundo.

Desafio do Twitter

A ideia da construção da bateria surgiu de um desafio feito por um fã no Twitter. Ele questionou se o dono da Tesla encarava com seriedade o desafio da geração de energia na Austrália, e Musk não só respondeu que sim, mas que a obra seria entregue em 100 dias. Se o prazo não fosse cumprido, o estado australiano receberia energia elétrica de graça. A contagem regressiva começou no dia 30 de setembro, depois que o projeto foi aprovado pelo estado, e a bateria foi inaugurada em apenas 60 dias.

A bateria consegue fornecer energia para 30 mil casas por uma hora, mas por enquanto será usada apenas para estabilizar o fornecimento regular de energia. As duas empresas estão construindo uma bateria de 20MW no estado australiano de Victória.

Baterias no mundo todo

Outras baterias menores semelhantes também ajudam na oferta de energia na Califórnia, Havaí, Nova Zelândia e Reino Unido. Hotéis de luxo na África do Sul também usam pequenos sistemas para armazenar energia da Tesla.

A empresa prometeu enviar baterias para Porto Rico, que perdeu quase todos os sistemas de geração de energia quando o furacão Maria passou pela região em 2017.

A Tesla deve enfrentar competidores à altura em 2019, quando uma bateria 50% maior que a australiana será ligada na Coreia do Sul. [The Science Page, BBC]

Relembre no vídeo abaixo o lançamento da Tesla Energy, em 2015:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (43 votos, média: 4,81 de 5)

Deixe seu comentário!