Em laboratório indonésio, cientista é comida viva por crocodilo

Por , em 27.01.2019

A cientista Deasy Tuwo, de 44 anos, foi aparentemente comida viva por um crocodilo de mais de 5 metros depois de cair no recinto do animal em uma instalação de pesquisa na Indonésia.

Seu corpo foi encontrado na manhã de sexta-feira (25) em uma piscina externa no Laboratório CV Yosiki, no norte de Sulawesi.

Os detalhes do caso ainda são escassos. Por enquanto, a polícia afirmou que o crocodilo pulou contra a parede do recinto durante o horário de alimentação e agarrou a pesquisadora, puxando-a para dentro da piscina e comendo partes de seu corpo.

Investigação

Deasy era a chefe do laboratório. De acordo com relatos da mídia local, seus colegas estão confusos sobre como essa tragédia pode ter acontecido.

O destino do crocodilo é incerto. A imprensa indonésia reportou que o animal estava sendo transportado para um centro de vida selvagem no distrito de Bitung, onde seriam realizados testes em seu conteúdo estomacal.

A polícia está agora em busca do dono do laboratório, que se acredita ser um empresário japonês. “O dono deve reconhecer este incidente horrível. Mas não o vimos nem sabemos onde ele está”, disse Raswin Sirait, oficial de Tomohon.

Sirait acrescentou que a investigação precisa saber se o empresário tem permissão legal para possuir crocodilos e outros produtos aquáticos caros em seu laboratório. “Se não houver permissão, ele será detido”, explicou.

Ataques de crocodilo

Ataques de crocodilos são frequentemente fatais. Em todo o mundo, estima-se que esses répteis matem cerca de 1.000 humanos por ano.

A maioria das mortes é causada pelo crocodilo-do-nilo e pelo crocodilo-de-água-salgada, porque populações selvagens vivem perto de populações humanas. [IFLS, TheMirror]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (34 votos, média: 4,18 de 5)

Deixe seu comentário!