Cientistas descobrem a “pílula da desconfiança” contra mulheres bonitas

Por , em 2.05.2013

O estereótipo hollywoodiano da espiã bonita que conquista o desconfiado espião inimigo usando seus encantos tem sua razão de ser: homens costumam ter o senso crítico afetado diante de mulheres bonitas.

Cientistas da Universidade Waseda e da Universidade Kyushu aparentemente descobriram uma forma de proteger os homens das “armadilhas da beleza” – um antibiótico parece ter o efeito colateral de deixar os homens menos propensos a ceder aos encantos do sexo oposto.

O antibiótico em questão é um medicamento já conhecido, do grupo das tetraciclinas, a minociclina, normalmente consumido em comprimidos para controlar acnes. Estudos recentes já haviam mostrado que ele melhora os sintomas de esquizofrenia e depressão, e ajuda pessoas saudáveis a tomar decisões mais racionais.

Para testar o efeito da minociclina, 98 voluntários foram divididos em dois grupos. Um tomou a minociclina e o outro um placebo, no período de 4 dias. Depois, eles tiveram que participar de um “jogo de confiança”. Receberam 1.300 ienes (pouco mais de R$ 26,00), e tiveram que decidir quanto dariam à uma moça, da qual veriam só a foto. Os participantes também foram avisados que a moça receberia os mesmos 1.300 ienes para participar do jogo, e o dobro do que eles decidissem dar para elas, que no fim elas podiam decidir ficar com, ou dividir com eles.

Se eles não dessem nada para a moça, ambos sairiam dali com 1.300 ienes. Se eles dessem todo o dinheiro para a moça, ela receberia 5.200 ienes no total, que daria 2.600 ienes para cada um, se ela resolvesse dividir. Depois de decidir quanto dariam à moça da foto, eles precisavam avaliar em uma escala de 0 a 10 o quanto eles achavam que a garota era “de confiança” (ou seja, se dividiria o dinheiro com eles), bem como dar outra nota para sua beleza.

O resultado mostrou uma diferença clara entre os homens que tomaram o antibiótico e os que não tomaram. Na hora da avaliação da beleza, as moças menos atraentes receberam mais ou menos a mesma nota nos dois grupos de homens. Já as mais atraentes receberam notas maiores no quesito beleza por parte dos homens que não tomaram a minociclina. Além de achar as moças mais bonitas, eles também a acharam mais confiáveis.

Os dois grupos ofereceram em média pouco menos de metade do dinheiro para as moças consideradas menos atraentes. No caso das moças consideradas mais atraentes, os homens que tomaram o antibiótico continuaram oferecendo em torno de 50% do dinheiro, enquanto os outros ofereceram, em média, 68% do dinheiro.

Estudos com animais já haviam mostrado que a minociclina inibe as atividades microgliais. Espera-se que o efeito demonstrado neste estudo lance uma nova luz no papel, ainda desconhecido, da microglia nas atividades mentais humanas. [Daily Mail, MSN Now, Nature, ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • Filipe Freitas:

    Tem que mudar esses títulos de “cientistas descobrem”, tá meio monótono de ler.

  • Lourdes Fiuza:

    NOSSA!!! ESTAVA LEVANDO NA BRINCADEIRA, MAS O AMIGO ÁI ACIMA DEU UMA AULA, OBRIGADA, INTERESSANTÍSSIMO!!!!!EU IA RESPONDER ASSIM; É NISSO QUE DÁ,NÃO PENSAR COM A CABEÇA DE CIMA, CAIR EM ARMADILHAS…. E AS MULHERES TÊM OS MESMOS PROBLEMAS E CONSEQUENTEMENTE BONS RESULTADOS COM ESTA PESQUISA??LEGAL”!!!

  • Louis Morelli:

    Muitíssimo obrigado por este artigo! Ele me conduziu a uma grande descoberta: quem foi o criador do sistema imunológico biológico! Mas isto é outra historia agora.
    Permita-me opinar que os cientistas estão tocando num importantíssimo segredo da Natureza relacionado a nossa saúde sem perceberem-no. Como resultado não conseguem explicar o mecanismo da minociclina e menos ainda o significado da microglia. E a explicação que estão fornecendo aqui esta equivocada. A formula química da minociclina é uma sequencia de anéis hexagonais (veja na Wikipedia). Anel hexagonal é a contraparte química da formula natural para sistemas fechados perfeitos. Isto significa que o antibiótico é uma forca química atuando no organismo que é um sistema aberto, forcando-o na direção de se tornar um sistema fechado. A característica deste sistema é o extremo egoismo, seu agente genético é o gene egoísta de Dawkins. Como prova, a minociclina é uma variante das tetraciclinas (quatro anéis hexagonais) que são produzidas por actinobacterias e eram consumidas pelos egípcios, o que sugere que era usada no embalsamento, tornando as células do cadáver fechadas e resistentes a desintegração. Mas a minociclina atua sobre as células microgliais que são células do sistema nervoso central produtoras do sistema imunológico, o qual é a característica principal dos sistemas fechados em si mesmos. Portanto o que a minociclina faz é fazer expressar com vigor o aspecto egoista do ser humano. Como resultado, a psique humana se torna fechada contra a influencia de qualquer agente externo, incluindo, outras pessoas. Então o nível de desconfiança de quem ingeriu o antibiótico aumenta. Os pesquisadores cometeram um erro, ou uma pesquisa incompleta. Eles induziram as cobaias a um resultado predeterminado por eles, quando colocaram como objeto alvo, as mulheres bonitas. Ora,se o nível de egoismo aumenta, o nível de rejeição e desconfiança aumenta em relação a tudo, sejam mulheres bonitas ou feias. Claro que apenas viram o efeito em relação ao objeto que eles anteciparam. Grato se divulgarem como esta trabalhando a cosmovisão da Matrix/DNA e disponho-me a qualquer pergunta. Publiquei dois artigos relacionados ao seu artigo no meu website. Abraços…

Deixe seu comentário!