“Comer tudo com moderação”: baboseira ou um bom conselho?

Por , em 30.11.2015

Diversidade na dieta é uma coisa boa? Segundo um novo estudo com 6.814 participantes dos Estados Unidos, não.

A pesquisa descobriu que o conselho “comer tudo com moderação” pode na verdade estar associado à piora na qualidade da dieta e na saúde metabólica.

O estudo foi abrangente e incluiu participantes brancos, negros, hispânicos-americanos e chineses-americanos.

Moderação pode ser recomendação errada

“Comer de tudo com moderação” é uma recomendação dietética comum, mas que não possui muitas provas empíricas.

Os pesquisadores queriam caracterizar novas métricas de diversidade de dieta e avaliar a sua associação com a saúde metabólica.

Assim, eles analisaram a diversidade da dieta dos participantes através de medidas diferentes, como a contagem total (número de diferentes alimentos consumidos dentro de uma semana), a uniformidade (distribuição de calorias em diferentes alimentos consumidos), e dissemelhança (as diferenças nos atributos relevantes dos alimentos para a saúde metabólica, tal como conteúdo de fibra, sódio ou gordura trans).

Usando tais medidas, os cientistas então avaliaram como a diversidade se associava com as alterações na circunferência da cintura dos participantes cinco anos após o início do estudo, e com o aparecimento de diabetes tipo 2 dez anos mais tarde. A circunferência da cintura é um indicador importante de gordura central e saúde metabólica.

Os resultados

No que diz respeito a contagem total de alimentos e a uniformidade destes, nenhuma associação foi observada entre a diversidade na dieta e o aumento da circunferência da cintura ou incidência de diabetes. Em outras palavras, mais diversidade na dieta não foi ligada a melhores resultados de saúde.

Já os participantes que tiveram a maior dissemelhança de alimentos experimentaram ganho de peso mais central, com um aumento 120% maior da circunferência da cintura do que os participantes com menor dissemelhança.

Os pesquisadores também examinaram como a qualidade da dieta se relacionou com a saúde metabólica. A qualidade foi medida usando índices americanos bem-estabelecidos como “Dietary Approaches to Stop Hypertension” (de hipertensão) e Alternative Healthy Eating Index (de alimentação saudável).

Em cinco anos, a qualidade da dieta não foi associada com a mudança na circunferência da cintura. Em dez anos, maior qualidade da dieta foi associada com um risco cerca de 25% menor de desenvolver diabetes tipo 2.

Conclusão

Um resultado inesperado foi que os participantes com maior diversidade em suas dietas, medida pela dissemelhança, na verdade tiveram pior qualidade de dieta. Eles comiam menos alimentos saudáveis, como frutas e vegetais, e mais alimentos “ruins” como carnes processadas, sobremesas e refrigerante.

Isto pode ajudar a explicar a relação entre a maior diversidade de alimentos e o aumento da circunferência da cintura.

Diversidade alimentar conforme medida pela contagem de alimentos e uniformidade também foi associada a um maior consumo de alimentos saudáveis e não saudáveis.

“Os americanos com as dietas mais saudáveis, na verdade, comem uma pequena variedade de alimentos saudáveis”, disse Dariush Mozaffarian, autor sênior do estudo e diretor da Escola Friedman de Nutrição e Ciências Políticas na Universidade Tufts, em Boston, nos EUA. “Estes resultados sugerem que, em dietas modernas, comer ‘tudo com moderação’ é realmente pior do que comer um número menor de alimentos saudáveis”. [Science20]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!