Vida extraterrestre – descoberta até 2020? Parte 3

Por , em 10.08.2014

VIDA EXTRATERRESTRE – A DESCOBERTA DO SÉCULO

Volta e meia quando me encontro com colegas da área em algum congresso científico sou alvejado a queima roupa com a mesma pergunta contundente: mantenho ou não minha aposta de que será oficialmente anunciada a descoberta de vida extraterrestre até 2020?

Primeiro a euforia com minha resposta veemente:

– Sim! – respondo categórico.

– Permaneço com a opinião de que o anúncio dessa grande descoberta da ciência será feita até 2020.

Depois a decepção quando eu completo a ideia:

– Será anunciada a descoberta de um ser unicelular. Uma alga, um protozoário, algo assim.

Para a frustração de muitos amigos ufólogos eu estimo esse anúncio sem as peripécias dramáticas da ficção científica, tão ao gosto dos produtores cinematográficos.

É estimulante imaginar civilizações extrassolares dotadas de magníficas astronaves sobrevoando Genebra e um acordo de cooperação interestelar sendo firmado em alguma solenidade envolvendo homenzinhos verdes.

Ao invés disso minhas primeiras apostas são feitas a favor do microscópio.

Vida extraterrestre microscópica. Que desinteressante!

Nem parece que escrevo também ficção científica.

Como manifestei em meus artigos anteriores minha aposta continua a mesma.

A novidade nesse artigo é que ouso listar em ordem de probabilidade quais são os mais cotados para encontrarmos vida além da Terra.

4.º LUGAR – PLANETAS EXTRASSOLARES

Com o avanço das técnicas de observação coloco como bons candidatos ao quarto lugar na minha lista de probabilidades os planetas extrassolares e a consequente identificação além da água e oxigênio, também a de material orgânico complexo (tais como clorofila, aminoácidos, ácidos nucleicos, etc) que ateste a existência de vida.

As apostas se firmam na missão Tess (“Transiting Exoplanet Surveying Sattelite”) da Nasa em 2017 e também o Telescópio Espacial James Webb.

Será?

3.º LUGAR- LUAS DE JÚPITER – EUROPA E GANÍMEDES

Europa é uma das quatro luas do planeta Júpiter que possuem tamanhos de planetas. Caracterizada por apresentar uma superfície gelada muito brilhante com riscos coloridos indicando um mundo oceânico coberto por uma espessa capa de gelo que atua como proteção das radiações oriundas do espaço sideral.

Devido às condições existentes nesse mar interior, existe em suas profundezas grandes possibilidades da existência de vida extraterrestre, de forma análoga aos mares das regiões polares da Terra além é claro de possuir oxigênio em sua atmosfera – seria resultado de algum processo similar ao das algas?

Ganimedes é o principal satélite natural de Júpiter, o maior do Sistema Solar possuindo diâmetro superior ao do Mercúrio e é também um forte candidato para abrigar vida, devido à presença de água.

Segundo dados da sonda Voyager Ganímedes tem sua superfície formada por uma crosta de rochas de silicatos e gelo flutuando sobre um manto lamacento provavelmente composto por água líquida além de possuir em sua tênue atmosfera, assim como sua companheira Europa, alguma porcentagem de oxigênio.

Como as missões programadas pela NASA até essas luas têm um calendário de lançamento apertado em torno e também para depois de 2020 – para minha aposta são candidatos azarões.

No entanto, sempre resta uma esperança para os competidores que correm por fora como a Missão Juno que chega em Júpiter em 2016 – cujas teorias da conspiração apontam para uma passagem de reconhecimento pela Lua Europa – o que seria uma verdadeira surpresa.

Também devemos registrar como azarões os esforços da Rússia e da China e da própria agência espacial europeia – o que seria no mínimo poético – a Europa descobrindo a vida em Europa.

 

2.º LUGAR – NOSSA LUA

Como foi encontrada água em forma de gelo, a grande chance de se localizar algum microrganismo extremófilo extraterrestre e a sua proximidade com a Terra aponta a Lua como uma ótima competidora nesse páreo, ficando em segundo lugar devido a falta de atmosfera.

Com o sucesso da missão chinesa no ano passado e o robô Coelho de Jade enviando suas fotos da superfície lunar se acende a esperança de que alguma coisa revolucionária saia daí, e me perdoem o trocadilho, seria mais um coelho que a China tiraria de sua cartola tecnológica para atestar a efetividade de sua marcha de conquista em todos os campos da ciência e da tecnologia.

Depois da Guerra Fria ser levada para os confins do espaço na década de sessenta teríamos aí uma ironia ideológica – imaginem só se fosse um país comunista o primeiro a encontrar vida extraterrestre e logo onde? Na lua. Sob as barbas dos norte-americanos que lá fincaram a sua bandeira.

Quem viver rirá.

 

1.º LUGAR – MARTE

 

Coloco Marte em primeiro lugar, pela razão óbvia de que nosso fiel robozinho Curiosity está em Marte já há um ano e continua em plena atividade e mesmo com as expectativas mais pessimistas ele possui gás para pesquisar o planeta vermelho pelo menos por mais seis anos.

Para ter uma ideia desse meu otimismo, o robô Opportunity programado para uma missão curtíssima já está por lá por mais de dez anos e depois de bater o recorde de 40 km de jornada pelas areias marcianas não dá sinal de que pretende se aposentar.

Quem sabe seja esse azarão sortudo que faça a descoberta do século e que a missão Rover em 2020 vá apenas confirmar e dar o seu atestado definitivo com o transporte de amostras até a Terra?

Faltam seis anos.

A paciência é uma virtude e o otimismo também.

E você meu caro leitor? Qual sua aposta?

 

-o-

[Leia meus outros artigos publicados aqui no Hypescience e comente também no FACEBOOK ]

-o-

LEIA A SINOPSE DE MEU LIVRO A COR DA TEMPESTADE feita pela escritora Núrya Ramos

[O LIVRO ENCONTRA-SE À VENDA NAS LIVRARIAS CURITIBA E SPACE CASTLE BOOKSTORE].

Ciência, ficção científica, valores morais, história e uma dose generosa de romantismo – eis a receita de sucesso de A Cor da Tempestade.

Trata-se de uma coletânea de contos do escritor e professor paranaense Mustafá Ali Kanso (premiado em 2004 com o primeiro lugar pelo conto “Propriedade Intelectual” e o sexto lugar pelo conto “A Teoria” (Singularis Verita) no II Concurso Nacional de Contos promovido pela revista Scarium).

Publicado em 2011 pela Editora Multifoco, A Cor da Tempestade já está em sua 2ª edição – tendo sido a obra mais vendida no MEGACON 2014 (encontro da comunidade nerd, geek, otaku, de ficção científica, fantasia e terror fantástico) ocorrido em 5 de julho, na cidade de Curitiba.

Entre os contos publicados nessa coletânea destacam-se: “Herdeiro dos Ventos” e “Uma carta para Guinevere” que juntamente com obras de Clarice Lispector foram, em 2010, tópicos de abordagem literária do tema “Love and its Disorders” no “4th International Congress of Fundamental Psychopathology.”

Prefaciada pelo renomado escritor e cineasta brasileiro André Carneiro, esta obra não é apenas fruto da imaginação fértil do autor, trata-se também de uma mostra do ser humano em suas várias faces; uma viagem que permeia dois mundos surreais e desconhecidos – aquele que há dentro e o que há fora de nós.

Em sua obra, Mustafá Ali Kanso contempla o leitor com uma literatura de linguagem simples e acessível a todos os públicos.

É possível sentir-se como um espectador numa sala reservada, testemunha ocular de algo maravilhoso e até mesmo uma personagem parte do enredo.

A ficção mistura-se com a realidade rotineira de modo que o improvável parece perfeitamente possível.

Ao leitor um conselho: ao abrir as páginas deste livro, esteja atento a todo e qualquer detalhe; você irá se surpreender ao descobrir o significado da cor da tempestade.

Núrya Ramos em Oráculo de Cassandra

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

9 comentários

  • Kleber Felipe:

    Eu acredito que vida simples já foi encontrada mas ainda não foi compreendida ou considerada; pois as pesquisas que são feitas tem base nos nossos exemplos de vida disponíveis e os requisitos mínimos que a vida necessita no nosso planeta, o que não necessariamente quer dizer que todas as formas de vida do universo terão os mesmos aspectos que as da Terra, e nem quer dizer que todas as formas de vida existentes dependem dos mesmos elementos químicos que as formas de vida encontradas aqui..

    • Cesar Grossmann:

      Kepler, mesmo que a gente não conheça uma nova forma de vida, algumas coisas a gente sabe sobre elas: elas tem que realizar metabolismo, e o metabolismo tem que produzir efeitos na atmosfera que não podem ser explicados por processos puramente químicos.

      Então, uma das coisas que os astrobiólogos procuram é um desequilíbrio na composição de atmosferas de exoplanetas. Por exemplo, metano em uma atmosfera sujeita a elementos que degradariam o mesmo rapidamente.

  • Anderson Campos Pavani:

    Antigamente uma pessoa que dizia acreditar em vida extraterreste era taxada como louco ou coisa parecida, hoje, no entanto, quem afirma que não existe vida fora da terra é considerado, no mínimo, um cético desequilibrado. acredito que encontraremos sim vida fora do nosso sistema solar. Porém não sou tão otimista, acho que esse “evento programado” para 2020 poderia ser adiado para 2050. vou começar a cuidar mais da minha saúde pra ver se consigo presenciar esse “evento”.

    • Cesar Grossmann:

      Depende o quão antigamente estamos falando. Houve época em que a pluralidade de mundos, como era chamada a teoria de que haviam outros planetas habitados, era tida como coisa certa, e outra em que era considerada heresia.

      Recomendo a leitura do livro “Planetas Solitários” do David Grinspoon, para ter um histórico dos altos e baixos sofridos por esta teoria.

  • J. Le Gutz:

    O anúncio será feito muito tempo depois da descoberta. Creio que só poderiam ser anunciadas até 2020 formas de vida descobertas antes de 2013, mais ou menos.

    • Cesar Grossmann:

      Duvido. Acho que o anúncio vai se seguir imediatamente à descoberta, e por um motivo muito simples: concorrência pelo prestígio e privilégio. Existem várias agências espaciais no mundo, a NASA, ESO, JAXA, a da Índia e a da Rússia, sem falar nas dezenas de observatórios astronômicos no mundo todo.

      Se um deles fizer a descoberta, vai querer imediatamente ganhar prevalência, prestígio sobre os outros, e o jeito de conseguir isso é anunciando a descoberta. Ou senão imagine, a NASA, com seus poucos bilhões de orçamento, descobre vida alienígena e fica quieta. Aí vem a JAXA, faz a mesma descoberta depois de algum tempo, e anuncia imediatamente. Qual a posição da NASA? Fica quieta e deixa a JAXA ficar com os méritos da descoberta, e vai lá para o Congresso, se justificar do por que a JAXA descobriu antes da NASA, apesar do orçamento da NASA? Ou então fica na posição dúbia de anunciar “a gente já sabia, mas ficou quieto”, e ninguém mais confia na NASA, afinal de contas, uma descoberta deste porte eles ficam quieto e não compartilham com ninguém?

      E tem mais. Hoje o orçamento da NASA é pequeno, se comparado com o de Defesa. É, com certeza, menor que o orçamento que a própria NASA gostaria de ter. Se eles anunciam a descoberta de vida alienígena, vai chover dinheiro para que a NASA determine se eles são uma ameaça, se é possível entrar em contato, se eles já passaram por aqui, etc. O que eles fazem, ficam quietos e disputam as migalhas que o Congresso dá para eles, ou anunciam e ganham, além de prestígio, dinheiro à rodo?

      Parece óbvio para mim que uma descoberta destas será anunciada imediatamente, assim que confirmada.

  • J. Le Gutz:

    Sugiro uma ligeira modificação em sua aposta. Em vez de “anunciada” a descoberta de vida até 2020, troque por “obtida a confirmação” desta. Pelo pouco que conheço os terráqueos, tal descoberta só seria anunciada depois de esgotadas todas as possibilidades de utilização de eventuais formas de vida alienígena como armas, ou para produzir armas. Mesmo que o(s) país(es) descobridor(es) não pretendam dar tal uso às formas de vida alienígenas, temem que potenciais inimigos venham a fazê-lo.

  • Dalton:

    Depois das imagens do telescópio Huble e das pesquisas dos astrofísicos, é uma estupidez pensar que somos o “centro do Universo” e os únicos seres existentes. Se existem bilhões de galáxias, porque somente nós habitaríamos o Universo. Até parece que não conseguimos raciocinar. O egoísmo atrapalha até nas pesquisas científicas. Se considerarmos estatisticamente apenas, seria lógico pensar em muita vida fora do nosso micro planetinha azul.

  • ROBERTO TAVEIRA:

    Bom se o seu objetivo e encontrar vida extra terrestre até 2020 é melhor eliminar toas os possíveis locais indicados com a exceção da Lua. Procure as ditas forma unicelulares mais precisamente no Módulo lunar deixado lá pelas expedições Estadunidenses.

    BOS: Em nenhum momento foi negado a existência.

Deixe seu comentário!