Estrelas anãs vermelhas ameaçam a vida alienígena

Por , em 17.01.2011

Um estudo com 200.000 anãs vermelhas, o tipo mais comum de estrelas em nossa galáxia, descobriu que elas liberam frequentes explosões solares, o que poderia ser fatal para a vida em planetas próximos.

As maiores erupções desencadeiam fluxos de partículas que podem devastar a atmosfera – ou habitantes – dos planetas. As labaredas solares são flashes de luz de quase todas as cores, juntamente com fluxos de partículas carregadas.

Prótons de alta energia, por exemplo, podem reagir com a atmosfera para destruir o ozônio, fazendo com que um planeta tenha uma atmosfera susceptível aos raios ultravioleta que são conhecidos por danificar o DNA. São efeitos drásticos e duradouros.

Você quer saber com que frequência essas erupções acontecem? O estudo, focado em uma pequena região do céu ao longo de sete noites, com mais de 200.000 estrelas, viu mais de 100 explosões de alta energia, algumas de intensidade enorme, que alteraram o brilho das estrelas brevemente em até 10%.

O resultado é particularmente relevante dada a recente descoberta de que existem três vezes mais estrelas anãs vermelhas do que se pensava anteriormente. Essas explosões poderosas são um mau presságio para qualquer biologia possível em qualquer planeta.

Assim, enquanto o número de exoplanetas está crescendo rapidamente, junto com a esperança implícita de encontrar planetas com condições adequadas para a vida, muitas perguntas permanecem sobre a habitabilidade a longo prazo que a Terra tem desfrutado. O que a fez melhor do que outros planetas?

Segundo os cientistas, é extraordinário pensar que essas estrelas numerosas, as menores em nossa galáxia, colocam tamanha ameaça à vida. [BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

23 comentários

  • Carlos Abraão:

    NÃO é inteiramente exato. Na realidade, cerca de 25% de todas as chamadas anãs vermelhas possuem pelo menos 1/3 da massa solar, as maiores dentre as de sua classe espectral, com classificação compreendida entre M0 e M2; e essas estrelas NÃO são eruptivas (“flares”), ao contrário das menores, que, inegavelmente, constituem a maioria dentre as anãs vermelhas. A já badalada Gliese 581, p/ex., NÃO é uma estrela “irregular”. Há que se ter cuidado com generalizações apressadas.

  • Denis:

    É realmente eu já desconfiava da quase impossibilidade de sobrevivencia de vida como a nossa em estrelas desse tipo! Realmente, anãs vermelhas são estrelas temperamentais e ao contraio de nossa estrelas que é regular (apresenta aumento de intensidade de 11 em 11 anos), as anãs vermelhas são irregulares e ficam “de TPM” a qualquer momento e para piorar mais a situação se o planeta estiver em sua zona habitavel ele provavelmente estará “preso” devido ao efeito de maré, portanto SEM CAMPO MAGNÉTICO, daí meu filho, vc ja vê o que dá ne? :/
    O que me conforta é que temos muitas e muitas estrelas como a nossa por ai 😀
    Daí fico me perguntando: Será que se uma estrela semelhante a nossa pode desenvolver vida biologica e aparentemente igual a nossa?

  • hector:

    vces sao burros, o planeta terra na verdade e uma prisao intergalatica,pensem. ninguem entra ou sai dele pelo menos nao galaticamente.os piores facinoras estao aqui.somos uma raça totalmente INFERIOR ATE HOJE NAO NOS DESENVOLVEMOS mentalmente so pensamos em destruir, os etes sao os carcereiros eles veem aqui so olhar se estamos cavando algum tipo de tunel{metaforicamente} para fugir e como aqui na terra ,alguns deles caem aqui acidentalmente e sao capturados.como apredemos a fabricar armas,temos uma atençao especial, so ficam mais de longe,mas nunca dormem

  • lukas:

    que estrelas malditas 🙂

  • Robles:

    O que mais ameaça a vida na terra somos nós mesmos. O ser humano sente prazer em destruir o ambiente onde vive.

  • Jorel:

    …e é por isso que Kalel foi enviado à Terra.

  • Ignorante:

    O que vocês não sabem é que existe uma mecânica sideral, através da qual a vida é constantemente renovada no universo. As anãs vermelhas e marrons cumprem a função de fazer a limpeza da vida nos planetas para que surjam novas formas de vida. É por isso que a destruição que causam é periódica.

  • Ignorante:

    É incrível como vocês soltam cada vez mais informações que tornam Hercolubus/Nibiru uma hipótese plausível ao mesmo tempo em que o negam veementemente, lançando mão de argumentos falaciosos.

    Sei…muitos sistemas solares possuem suas anãs marrons mortais, só o nosso que não…tá bom…

  • Cesar:

    Mais um fator a considerar na famosa Equação de Drake, que estima a quantidade de civilizações alienígenas existem na nossa galáxia. Sabemos que existe uma, por enquanto, e, ao mesmo tempo que descobrimos que existem muitos exo-planetas, ficamos também sabendo que existem mais anãs-vermelhas.

    Cada vez ficamos sabendo mais sobre o nosso Universo e sobre nós mesmos.

  • Thiago:

    acho q vou cancelar o envio das notícias desde site para o meu email, pq a maioria das matérias são insignificantes, poucas de informação útil, algumas são incompletas!!!!!!

    antes provem a existência dos alienígenas!!!!!!!
    n adianta vcs qrerem enfiar guela abaixo, pq nem todo mundo é fantoche

  • Genivaldo:

    Os cientistas não conhecem nem os mistérios dos mares quanto mais outros mundos mais distantes que besteroide cientifica,

    • 10.000 AC:

      Que comentário inteligente!!!!!! Agora sei porque falam que o homem evoluiu do macaco!! Ou seria o contrário?

  • Colorado:

    Eles não conhecem nem o nosso Sistema Solar, como vão saber destas estrelas? Não acredito em nada disto.

    • samdimitry:

      Colorado, o fato de você não acreditar só mostra que não estudou o suficiente para ser usuário de um site como este. Mas um dia quem sabe o que você não acredita hoje será sua realidade amanhã! Mas de qualquer forma não se ofenda, apenas estude mais astrofísica!

  • Fernanda:

    “…muitas perguntas permanecem sobre a habitabilidade a longo prazo que a Terra tem desfrutado. O que a fez melhor do que outros planetas?” É exatamente por me fazer esse tipo de pergunta, que fica cada vez mais difícil não acreditar na existência de um criador ou um ser superior que rege o universo. Ainda mais quando paramos para observar a perfeição e harmonia com que tudo flui. Não apenas pelo o fato de haver vida em nosso planeta, mas MUITA VIDA, que não dá pra acreditar em simples obra do acaso. Mesmo que um dia o homem descubra vida em outros planetas, acho improvável que seja em tamanha abundância quanto no nosso. Eu não acredito nessa possibilidade!

  • big bang:

    As vezes fico pensando no qto expostos estamos e como e frágil a nossa existência, diante de um universo de ilimitadas fontes de energia q ainda não compreendemos. O q chamamos de tempo e relativo, um século para um homem e uma vida, e para o universo e uma fração ode segundo. Nossa breve existência pode acabar tão de repente q nem vamos perceber o qto insignificantes somos perto dos mistérios do universo.

  • Leonslasher:

    Ka boom!!
    E damos adeus diariamente á bilhares de vidas possiveis fora de nosso planet!

  • Cy:

    Sei que não tem nada a ver, mas: Estrela anã vermelha = mônica!

  • Dani:

    Sensacionalista demais essa abordagem. Existem inúmeros fatores que podem ameaçar a vida da forma como conhecemos, mesmos assim existimos e devem existir muito mais por aí… E ainda poderíamos supor que existem vidas que se alimentam ou dependem das anãs vermelhas para existir.

  • Manuel Bravo:

    Nosso querido sol deve ser a estrela mais amiga dos seres
    vivos do universo, depois de conhecer estas… ufa tomara
    que que não mude de comportamento!!!

  • Roberto:

    Isso é uma pedrinha na especulação planetária. Não deve haver desânimo. O cosmos é vasto. O fato de estarmos aqui depõe a favor da vida em lugares inesperados do universo.

  • André Luiz:

    Será mesmo? Não sei não…

  • anonimo:

    E as probabilidades de encontrar vida inteligente em outros planetas diminui ainda mais.

Deixe seu comentário!