Mais evidências de que o vírus da herpes esta relacionado com Alzheimer

Por , em 31.10.2018

Mais de 30 milhões de pessoas sofrem com o mal de Alzheimer no mundo inteiro, a forma mais frequente de demência. Infelizmente, não há cura para esta doença, e os medicamentos disponíveis apenas amenizam os sintomas. Mas uma grande pesquisa realizada por Ruth Itzhaki, da Universidade de Oxford (Reino Unido) confirmou uma  informação muito interessante.

Em sua meta-análise, ela encontrou evidências fortíssimas de que o vírus da herpes é uma das causas do Alzheimer. Assim, um possível novo tratamento para a doença seria usar drogas antivirais. Vacinas administradas na infância também poderiam prevenir o surgimento da doença mais tarde.

Danos do herpes

Este vírus (HSV1) é famoso por causar a lesão do herpes labial, e infecta a maioria das pessoas na infância. O problema é que o vírus continua adormecido no sistema nervoso periférico, e ocasionalmente fica ativado, normalmente em períodos de estresse.

Uma pesquisa de 1991 apontou pela primeira vez que idosos têm o HSV1 presente no cérebro. Outra pesquisa de 1997 mostrou que o vírus representa um grande risco quando presente no cérebro de quem tem um gene específico conhecido como APOE4. A chance de ter Alzheimer em pessoas com o gene APOE4 que tem o HSV1 no cérebro é 12 vezes maior que pessoas sem nenhum desses fatores.

O vírus pode se ativar no cérebro, possivelmente de forma repetida, e isso provavelmente causa danos cumulativos. Estudos em culturas de células infectadas com o HSV1 mostraram que proteínas tau e beta-amiloides se acumulam. O acúmulo dessas proteínas no cérebro é característico do Alzheimer.

Ativação do vírus

O vírus HSV1 é ativado não apenas em momentos estressantes, mas também quando o sistema imunológico fica reduzido e quando há inflamação cerebral causado por outros micróbios. Ou seja, pacientes idosos estão mais vulneráveis ao retorno do vírus.

É possível que o gene APOE4 faça com que seus portadores tenham mais toxinas acumuladas no cérebro, ou menor reparação dos danos do órgão.

Novos tratamentos

Dados recentes sugerem que medicamentos antivirais podem ser usados no tratamento da doença de Alzheimer. Esses agentes previnem a multiplicação de novos vírus, limitando os danos virais.

O medicamento Aciclovir foi testado e observou-se que ele bloqueia a replicação do DNA do HSV1 e reduz níveis da proteína tai e do beta-amiloide. Ele atua contra os vírus do herpes humano, incluindo o Herpes simplex, o Varicella zoster, o Epstein-Barr e o Citomegalovirus.

É importante lembrar que todos estes estudos apenas relacionam o vírus herpes com a doença de Alzheimer, mas não provam que o vírus é sua causa. Segundo a autora do estudo, uma forma eficaz de garantir que o vírus é o responsável pela doença seja tratando pessoas com o vírus com o medicamento antiviral ou com a vacinação contra o vírus ainda no início da vida. [Real Clear Science, Frontiers in Aging Neuroscience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (23 votos, média: 4,83 de 5)

Deixe seu comentário!