Máscara de Tutancâmon foi irreversivelmente danificada

Por , em 23.01.2015

A Máscara de Tutancâmon, utilizada em seu enterro, é uma das mais famosas do Antigo Egito, mas acaba de ser irreversivelmente danificada.

E não foi porque o rei estava se revirando na tumba, não. A relíquia arqueológica, que é considerada a mais conhecida do mundo, foi derrubada durante uma tentativa fracassada de limpeza.

Emenda pior que o soneto

Pode ficar pior? Pode. Porque depois de ser derrubada, aquela barba trançada azul e o ouro na máscara de enterro do Rei Tut foram colados “às pressas” com um adesivo inadequado, danificando o item ainda mais.

Como a Associated Press, agência de notícias americana, está relatando, parece que aquela famosa barbicha foi rapidamente colada de volta “no lugar” por curadores do Museu Egípcio, que fica no Cairo, com epóxi, um “material irreversível” que é completamente inadequado para um esforço de restauração desta importância.

Depois que a confusão estava toda feita, os conservadores do museu vieram a público para contar da lambança para todo mundo. Mas, apesar de obviamente muito frustrante, essa história não está totalmente bem contada.

Versões conflitantes

Ainda não ficou claro quando exatamente esse incidente aconteceu – se a icônica barba foi mesmo derrubada acidentalmente, ou se foi removida porque estava solta. Três curadores do museu estão contando histórias diferentes.

O que sabemos, no entanto, é que eles receberam uma ordem “de cima” para remendar rapidamente a máscara, e que foi nesse momento de pressa/pânico que o epóxi foi usado. Todos os três curadores se recusaram a dar seu nome por medo de represálias profissionais. Não julgo.

A partir do relatório da Associated Press, ficamos sabendo de ainda uma outra versão, que diz que “a máscara deve ter sido levada para o laboratório de conservação”, mas como eles estavam com pressa para obtê-la de volta, teriam acelerado o processo e usado essa secagem rápida com um material irreversível.

E agora, com que cara o Rei Tutancâmon fica?

O conservador disse que a máscara agora mostra uma lacuna entre o rosto e a barba, sendo que antes essas partes estavam diretamente ligadas.

Além disso, inadvertidamente, o epóxi foi colocado também sobre a face da máscara – e eles usaram uma espátula na tentativa de tirá-lo, prejudicando ainda mais relíquia.

Um dos conservadores do museu, presente no momento da reparação, disse que o epóxi usado tinha secado sobre a face da máscara do rei e que um colega usou uma espátula para removê-lo, deixando arranhões. O primeiro conservador, que inspeciona o artefato regularmente, confirmou os arranhões e disse que era claro que eles tinham sido feitos por uma ferramenta usada para raspar o epóxi.

O Ministério de Antiguidades do Egito e a administração do museu não estão respondendo às perguntas da mídia internacional, mas foi garantido que uma investigação está em andamento. [io9]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

Deixe seu comentário!