15 fatos fascinantes sobre o Egito Antigo

Por , em 24.09.2013

Ninguém resiste a uma despretensiosa lista de curiosidades aleatórias. Melhor ainda quando o tema da relação é algo enigmático e que desperta tanta curiosidade em nós quanto o Egito Antigo.

Por mais que conheçamos o básico dessa civilização antiga, ainda há muito o que explorar. Os fatos a seguir devem servir como uma boa introdução à cultura desse povo e de como estava organizada a sua sociedade, e quem sabe você também acaba aprendendo algo de novo sobre os famosos egípcios antigos.

449px-tutmask-1
  1. Um faraó nunca deixava que seu cabelo fosse visto – ele sempre usava uma coroa ou uma espécie de touca chamada de nemes (o ornamento listrado que ficou famoso por estar presente na máscara dourada de Tutankamon [foto acima]).
  2. A fim de impedir que as constantes moscas presentes na região pousassem nele, Pepi II do Egito sempre mantinha vários escravos nus por perto, com os corpos inteiros lambuzados de mel.
  3. Tanto homens como mulheres egípcias usavam maquiagem: aqueles famosos riscos escuros ao redor dos olhos eram geralmente verdes (feitos de cobre) ou pretos (feitos de chumbo). Os egípcios acreditavam que a maquiagem tinha poder de cura. Originalmente, a maquiagem era usada como proteção contra o sol, ao invés de um simples enfeite facial.
  4. Embora os antibióticos só tenham aparecido no século 20, a medicina popular antiga já combatia infecções, só que utilizando elementos presentes no dia a dia da época, como alimentos mofados ou terra. No Egito Antigo, por exemplo, as infecções eram tratadas com bolor de pão.
  5. As crianças egípcias não usavam nenhum tipo de roupa até que se tornassem adolescentes. As temperaturas médias no Egito faziam com que o vestuário fosse, de fato, desnecessário. Os homens adultos se vestiam com saias, enquanto as mulheres usavam vestidos.
  6. Os egípcios ricos da época usavam perucas enquanto as pessoas das demais classes sociais possuíam o cabelo comprido e frequentemente usavam tranças. Até os 12 anos de idade, os meninos egípcios tinham a cabeça raspada, exceto por uma mecha de cabelo – era como uma proteção contra pulgas e piolhos.
  7. Não se sabe quem destruiu o nariz da Esfinge de Gizé, no complexo das Pirâmides (foto abaixo). Durante muito tempo, o “vandalismo” foi creditado às tropas de Napoleão que invadiram o Egito no ano de 1798. No entanto, há esboços da Esfinge sem nariz que datam de 1737, mais de 60 anos antes de Napoleão chegar ao Egito – e centenas de anos antes de os exércitos britânicos e alemães lutarem por lá nas duas Guerras Mundiais. A única pessoa conhecida por ter danificado a esfinge foi um clérigo islâmico, Sa’im al- dahr, linchado no ano de 1378 por vandalismo.
  8. Os egípcios acreditavam que a Terra era plana e redonda (como uma panqueca) e que o Rio Nilo corria bem no meio do planeta.
  9. Os soldados egípcios eram usados como uma força policial interna. Além disso, eles também coletavam impostos para o faraó.
  10. Em todos os templos do antigo Egito, o faraó era o responsável por realizar os deveres dos sacerdotes mais altos na hierarquia, mas geralmente seu lugar era tomado pelo sacerdote-mor.
  11. A primeira pirâmide construída pelos egípcios antigos (a Pirâmide de Degraus de Djoser, edificada por volta do ano 2600 aC) era originalmente cercada por uma parede de 10 metros de altura. O muro possuía também 15 portas, e apenas uma delas de fato abria.
  12. As mulheres no Egito antigo gozavam de igualdade legal e econômica com os homens. No entanto, elas jamais tiveram igualdade social.
  13. Alguns esqueletos escavados da época mostram que, ao contrário da crença popular, os construtores das pirâmides eram realmente egípcios. Eles provavelmente estavam a serviço permanente do faraó. Os rabiscos encontrados no local indicam que pelo menos alguns desses trabalhadores tinham orgulho da sua função, chamando suas equipes de “Amigos de Khufu”, “Bêbados de Miquerinos”, e assim por diante – nomes que indicavam alianças com os faraós.
  14. Quando um corpo era mumificado, o cérebro era removido por uma de suas narinas e o intestino também era retirado e colocado em frascos especiais. Cada órgão, na realidade, era colocado em seu próprio frasco. O único órgão interno que não era removido era o coração, porque egípcios o consideravam a sede da alma.
  15. Ramsés, o Grande, teve oito esposas oficiais e cerca de 100 concubinas. Ele tinha mais de 90 anos de idade quando morreu, no ano de 1212 aC. [Listverse]
sphinx2

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,88 de 5)

32 comentários

  • Silvio Alexandra Areco:

    É muita suposição apenas isso,a única certeza é de que os egípcios tinham um conhecimento muito além da realidade da época.

    • Cesar Grossmann:

      Esta sim, é uma suposição, e infundada, Silvio. A de que os egípcios “tinham conhecimento muito além da realidade da época”. Com certeza eles sabiam coisas que nós ainda não descobrimos que eles sabiam, mas não era nada muito extraordinário.

  • Luciano De Almeida Dias:

    Outra fraude foi colocar múmias de gregos no lugar de nobres egípcios negros para reforçar a falsa imagem que eles eram brancos .

    • Cesar Grossmann:

      Alguma prova dessa acusação de fraude? Por outro lado, não sei como um cadáver ressecado pode ajudar quem diz que os egípcios eram brancos.

    • July Correa:

      Ah, e aí galera? É falso, ou não??

    • July Correa:

      O busto de Nefertiti….

  • Luciano De Almeida Dias:

    Existe muitas fraudes envolvendo estátuas e pinturas de egípcios . O busto de Nefertiti é falso , foi feito no sec 19 .

    • Cesar Grossmann:

      É verdadeiro. Foram feitos raios-x e tomografia, e o exame de pigmentos, tudo é autêntico.

  • Luciano De Almeida Dias:

    Os egípcios eram negros sim , segundo a bíblia , François Champollion , e historiadores greco-romanos e contemporâneos .

    • Jonny:

      segundo a biblia cobras falam ¬¬

  • walter weber:

    No Velho Testamento da Bíblia consta que José viveu no Egito, e soube que isso seria improvável, porque na escrita Judaica e na escrita Egípcia não consta nada de que houve um convívio entre esses dois povos, e aparentemente isso não foi provado, então, que houve esse convívio, é mentira ?

    • Cesar Grossmann:

      Provavelmente é mentira, ou então exagero. Primeiro, tem que ver que o conceito de “verdade histórica” não existia na época. Segundo, tem que ver que o povo hebreu (se é que existiu alguma vez um povo hebreu) era insignificante, provavelmente os egípcios chamavam eles todos de palestinos sem se preocupar de que minúscula aldeia ou minúsculo povo eles faziam parte.

      Mais ou menos como os Estados Unidos fazem, quando o presidente chega aqui para saudar o povo da Bolívia.

  • Cesar Grossmann:

    Mas geralmente a ciência é feita assim: você chuta alguma resposta para algo que não conhece, e então vai testar para ver se a tua resposta se sustenta em relação aos dados coletados.

    “Chutar” uma resposta não é crime nem indício de mente fraca, pelo contrário, é preciso imaginação para fazer “bons chutes”. O que não se aceita é o que os esotéricos fazem, que é “chutar” uma resposta e então assumir que responderam a pergunta, sem nem mesmo testar a resposta (ou então “chutar” respostas que não possam ser testadas e assumir que, por isto, as respostas estão certas). Quase tão ruim quanto chutar uma resposta e fazer o teste de forma errada, e achar que provou que o chute estava certo.

    Por exemplo, tem gente que afirma que as pirâmides foram construídas por alienígenas. Que chute este, não? Qual a evidência que eles tem de que foi um alienígena? Nenhuma. Eles alegam simplesmente que seria impossível para o homem fazer as montanhas de pedras conhecidas por “pirâmides” usando a tecnologia da época. Tem muitas pedras, as pedras são pesadas demais, as pedras tem que vir de muito longe, etc.

    E, sobre as minhas metáforas e exemplos, tem gente que não aceita o meu raciocínio de maneira nenhuma, mas é por pura teimosia. Esta ideia de que pelo mesmo raciocínio, quem mora hoje no Palácio do Planalto está correta: foram seres humanos. Tem alguma coisa de errado nisso?

  • Cesar Grossmann:

    Ué, quer dizer que se eu não sei como é feita a torta de maçã, não posso nem mesmo dizer que é feita por pessoas? Este argumento não procede. Podemos não saber como os egípcios fizeram, e saber que eles fizeram: existem campos de trabalhadores, registros de greves, e grafitis que eles fizeram nas paredes de túmulos e pirâmides, com o nome deles. Para mim isto é evidência suficiente de que foram os egípcios que fizeram.

  • Luiz Felipe:

    Por mim, poderiam dinamitar todas essas pirâmides e usar essas múmias como lenha.

    • Cesar Grossmann:

      Sim, quem precisa de patrimônio histórico? A propósito, usaram muitas múmias como combustível no início do século passado.

  • Danilo:

    Muitos acreditam que os egípcios eram fascinados pela morte, pelo contrário eram pela vida, eles faziam todos aqueles rituais, com os hieróglifos, as estatuetas, as citações do Livro dos Mortos, mas porque gostavam tanto da vida que queriam que ela continuasse mesmo depois da morte.
    Há historiadores que afirmam que os Dez Mandamentos esculpidos por Moisés foram copiado dos Livro dos Mortos, pois podem encontra-los escritos lá!!!

    • Dinho01:

      Copiados,eu não sei mas que houve uma certa influência,certamente houve. Muitos esquecem que Moisés foi criado como um príncipe egípcio. Isso sem falar no “olho por olho,dente por dente” quem vem da Lei de Talião e já estava no Código de Hamurabi dos babilônios. Nem tudo que está no Antigo Testamento teve influência divina com querem fazer crer alguns pastores neo-pentecostais.

  • MATEUS HENRIQUE:

    A maioria dos pesquisadores afirmam que a população egípcia nos tempos áureos daquela nação era composta por negros. No entanto, Elizabeth Taylor, atriz americana, uma branca, interpretou a Cleópatra no filme, o que foi um erro grotesco, já que é Cleópatra não era branca como muitos acreditam, e sim, negra. Estamos diante de um preconceito racial, muito comum na sociedade e frequente no cinema americano, que levou a crer que os Egípcios eram brancos. Ainda é difícil para brancos e a sociedade admitir que houve um tempo em que uma civilização gloriosa foi governa por negros, e não só a Egípcia mas várias outras do continente africano.

    • Cesar Grossmann:

      Cleópatra era a última da dinastia do general grego Ptolomeu, um dos generais de Alexandre, o Grande. Então pode ser que ela não era negra como o resto dos egípcios.

      Mas que existe este preconceito de que os egípcios eram brancos, isto existe sim…

    • Leilton Gomes:

      È interessante imaginar que o “Povo do sol” ou “Filhos do Sol” KHEMET fossem brancos como querem nos fazer acreditar,.

    • Cesar Grossmann:

      “Querem”? Quem são estes que “querem” nos fazer acreditar?

    • Igor Torres:

      Cleópatra não era negra poderia ter a pele escura já que no Egito é bastante castigado, já os antigos egipcianos

    • Cesar Grossmann:

      “Egipcianos” é dureza. Cleópatra era descendente de Ptolomeu, um general de Alexandre, o Grande. Talvez ela tivesse a pele branca, ou bronzeada.

  • TopSecret Jack_Olv08:

    Por favor, por acaso os egípcios eram negros??? Porque aquela história de que os antigos faraós teriam migrado para a Europa definitivamente não cola!

  • David Souza:

    A cultura do antigo Egito é fascinante, estudo isso há pelo menos quatro anos e tenho cada vez mais vontade de buscar mais conhecimento. O que faz ela não ser tão divulgada como a grega e romana aqui no Brasil, é uma grande religião chamada cristianismo, pois acreditam que os antigos egípcios eram algozes, frios, pessoas que adoravam a morte.. Mas acreditem, amavam tanto a vida que queriam estendê-la além do túmulo. Por mais que você seja religioso, se você tem um pingo de bom senso, você sabe que a bíblia foi escrita por religiosos, e não historiadores, eles não estavam preocupados em contar a história da maneira que ela aconteceu, mas sim divulgar suas crenças e derrubar outras religiões, que é o caso da egípcia. Você colocando uma narrativa igual o Êxodo, na qual o Egito “sofria” sanções de uma entidade divina espetacular, é querer dizer que o deus cristão é mais forte que os egípcios. Como grande parte dos religiosos simplesmente não questionam nada da bíblia, eles ficam com essa “verdade” para eles, de que os antigos egípcios escravizavam vários povos, inclusive os hebreus.

    Mas agora vamos parar de contos de fadas, vamos ao que temos na arqueologia e história, foi encontrada a cidade dos trabalhadores da grande pirâmide, aí você me diz:”Grande coisa!” Mas vamos pensar da maneira que os antigos egípcios pensavam, para eles o local de sepultamento era sagrado, pois naquele local estava enterrado um “deus”. Ser enterrado, ou até mesmo residir perto de um local desses, era de extremo orgulho até para os mais altos sacerdotes egípcios. Agora pensa comigo, com base em tudo isso, vou mandar construir uma cidade para escravos ao lado da minha tumba, isso faz sentido? Creio que não.

    Na cidade de trabalhadores também foram encontrados registro do que seria para nós, hoje em dia, um sindicato. Mas o que? Sindicato? É isso mesmo, os trabalhadores das pirâmides tinham um sindicato, recebiam salários, tinham privilégios por trabalhar em obras públicas e descanso semanal, esses “escravos” eram muito privilegiados na minha opinião.

    Só para concluir essa parte, existia somente um tipo de escravidão no Egito, mas nada perto do que houve aqui na América, lá os únicos escravos eram os prisioneiros de guerras, e esses, diferentes dos escravos que haviam no Brasil por exemplo, poderiam adquirir o título de cidadães egípcios com o tempo.

    Sobre a questão da cor dos egípcios, a teoria de que eles eram negros, já foi refutada pelos maiores estudiosos do tema, não faça igual certas pessoas, uma que eu estava tentando argumentar esses dias, acredita que por algumas estátuas serem esculpidas em granito escuro, logo o dono dela é negro. Nessa linha de raciocínio teríamos pessoas azuis, verdes, rosas, vermelhas porque essas cores eram usadas sim nas representações egípcias, mas cada uma delas tinha um significado. O preto em questão, era referente à cor do barro do Rio Nilo, que gerava e gera até hoje riquezas ao Egito, ele tem uma cor escura e simbolizava fertilidade nas representações. Essas teorias que os egípcios eram negros, é pura teoria conspiratória, existiam sim negros no Egito, veja bem, não estou dizendo que não existiam, só estou dizendo que os egípcios sempre foram miscigenados, os egípcios variam dependendo a região do país que se encontram.. Na região sul do Egito, muitas pessoas tem traços de governantes da XVIII dinastia, por exemplo, estima-se que 70% da população dessa região compartilham dos genes dos antigos egípcios.

    Bom é isso, desculpe pelo comentário ficar um pouco grande, mas tentei resumir bem, qualquer um que se interesse pela história do Egito e quiser acompanhar nossa página no facebook, é só procurar por Egiptologia Brasil.

    Forte abraço à todos.

  • pmahrs:

    Ao contrário do que vemos filmes, novelas, mas muitos estudos mostram que os antigos egípcios eram negros embora haja controvérsias. Talvez quebrar o nariz seja uma forma de não admitir esta possibilidade em tempos mais antigos.

    • Cesar Grossmann:

      Estátuas gregas também tiveram o nariz quebrado (as que não foram totalmente quebradas), então acho que não tem nada a ver… Quebrar os narizes das estátuas é um costume de conquistadores, pelo jeito.

  • Cesar Grossmann:

    A ideia de usar pão mofado contra as infecções é creditada a Imhotep (que seu túmulo nunca seja encontrado por ladrões nem pela maldita Irmandade Muçulmana). A pirâmide em degraus de Djoser também foi projeto dele, segundo alguns — o cara era um Leonardo da vida…

    • Ana Carolina:

      OMG! Imhotep… que medo..rsrs

    • Cesar Grossmann:

      Pois é, a “múmia malvada” preferida de Hollywood é, na verdade, um dos gênios de 4.600 anos atrás.

      Outra coisa que eu lembrei agora, os trabalhadores egípcios das pirâmides às vezes faziam greve, e uma delas aconteceu por que estava faltando maquiagem para os olhos. Considerando que eles não tinham óculos escuros à disposição, a maquiagem era importante para proteger contra o sol.

  • Rafaela Martins:

    O Egito antigo é muito especial,um lugar cheio de mistérios ocultos. Adoraria um dia dar uma olhada de perto para conhecer esses locais interessantes!!

Deixe seu comentário!