Medicamento nanoencapsulado cura seu porre em segundos

Por , em 19.02.2013

Pesquisadores da Califórnia (EUA) conseguiram reduzir níveis alcoólicos em ratos usando nanocápsulas com enzimas fundamentais para o metabolismo do álcool.

Enzimas são proteínas que catalizam uma gama enorme de processos no corpo, o que as torna candidatas interessantes para terapias. Muitas funções biológicas pedem por grupos precisos de enzimas trabalhando em sincronismo, e isto geralmente acontece dentro de uma organela, um componente da célula.

Bioquímicos têm tentado fabricar estes compostos enzimáticos há muito tempo. O problema é que é muito difícil manter a estabilidade das enzimas e controlar de forma precisa seu tamanho e arranjo.

Agora, um novo trabalho descrito na Nature Nanotechnoly envolve o encapsulamento de múltiplas enzimas dentro de uma nanocápsula. O complexo enzimático funcional resultante, feito de um polímero não tóxico, funciona quase como uma organela, estabilizando as proteínas e protegendo-as contra a degradação no organismo.

Para demonstrar a eficácia deste método de aplicação, os pesquisadores Yunfeng Lu, professor de química e engenharia biomolecular na UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles) e líder do projeto, e Cheng Ji, professor de bioquímica e biologia molecular na Universidade da Califórnia do Sul, injetaram ratos com cápsulas contendo duas enzimas.

Uma das enzimas aplicadas foi a oxidase, que produz peróxido de hidrogênio, e precisa trabalhar em conjunto com outra enzima que decompõe este elemento danoso. O composto enzimático foi aplicado com seringa nas cobaias, e o nível de álcool no seu sangue baixou rapidamente e de forma significativa em comparação com os ratos que não receberam o composto.

Como uso potencial para tal produto, os pesquisadores citam pessoas que precisam ficar sóbrias rapidamente, como médicos, quando precisam atender a alguma emergência durante uma festa, por exemplo. A cápsula poderia ser um antídoto para o álcool ingerido oralmente, repetindo no seu estômago o funcionamento do fígado, ajudando a digeri-lo.

Mas o método de encapsulamento não se esgota no antídoto para o álcool. Outros tratamentos baseados em enzimas podem ser feitos usando esta técnica, como por exemplo, a aplicação das enzimas que quebram a dihidrotestosterona (popularmente chamada de DHT), que causa a calvície masculina.

Na verdade, os cientistas já estão trabalhando com a companhia farmacêutica Kythera para fazer um produto que previna a calvície masculina. [Gizmodo, Technology Review]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Rover Ribeiro:

    Aposto que muita gente que está lendo este artigo, pensou o mesmo o mesmo que eu pensei. Se criarem este medicamento, pessoas que bebem e querem dirigir em seguida ficarão felizes.

  • ygor augusto:

    Uma caixa desses por favor

Deixe seu comentário!