Melhor momento para fazer cirurgia cardíaca: durante a lua cheia

Por , em 23.07.2013

A lua é um prato cheio no que se trata de mistérios. Mas, além da possibilidade de nos transformar em lobisomens, ela também faz parte do discurso de alguns “lunáticos” que reivindicam que é possível emagrecer mais em determinada fase lunar, ou fazer máscaras de beleza, ou isso, ou aquilo.

Tais ideias podem parecer cientificamente risíveis, mas será que há alguma verdade nelas?

O debate é extenso e está longe de ser conclusivo, mas, para a alegria dos crentes, pode ser que a lua interfira, sim, de alguma maneira na nossa saúde.

O estudo

Recentemente, cirurgiões americanos informaram que pessoas submetidas à cirurgia cardíaca apresentam uma taxa de mortalidade mais baixa se o procedimento é feito quando a lua começa a minguar.

O estudo, realizado no Rhode Island Hospital, acompanhou 210 pacientes que haviam sido submetidos a cirurgia entre janeiro de 1996 e dezembro de 2011 para reparar danos na aorta, uma condição rara conhecida como dissecção aórtica.

Dr. Frank Sellke, o principal pesquisador e cirurgião cardiotorácico chefe do hospital, disse: “Nós descobrimos que as chances de morrer após o procedimento foram muito reduzidas durante a lua cheia começando a mingar, e que o tempo de internação também foi reduzido durante a lua cheia”.

Na verdade, as pessoas que fizeram a cirurgia durante a lua cheia ficaram no hospital por uma média de 10 dias, em comparação com 14 dias entre as que fizeram em outros momentos do ciclo lunar.

A literatura científica – e a polêmica

Este tipo de influência lunar – também conhecida como “efeito Transilvânia”, tem causado longas discussões entre os médicos especialistas. Será que a lua realmente afeta nossos corpos, ou as “evidências” existentes são meramente o resultado de coincidências e peculiaridades estatísticas?

Um relatório publicado no European Journal of Preventive Cardiology de abril parece apoiar os lunáticos. Tal como o estudo de Rhode Island, os autores deste artigo descobriram que a lua minguante logo após a lua cheia pode proteger o coração das pessoas.

Os pesquisadores, do Hospital Central de Augsburg, na Alemanha, estudaram os registros de 16.000 vítimas de ataque cardíaco, e concluíram que significativamente menos ataques ocorreram nos três dias após a lua nova.

Alguns especialistas acreditam que esse efeito pode ser causado pela atração gravitacional da lua, que afeta as funções do coração.
Quando a lua está cheia e em luas novas (quando o sol e a lua estão alinhados), a atração gravitacional da lua e do sol são combinadas, e a gravidade supostamente atinge seu ponto mais forte. Isso pode ter um efeito benéfico sobre a circulação humana.

Evidência para este efeito também foi encontrada na Índia por pesquisadores da Universidade Vidyasagar. Eles pediram que 80 estudantes fizessem exercícios todos os dias durante um mês, enquanto monitoravam sua frequência cardíaca, pressão arterial e desempenho atlético. Os resultados sugeriram que, em luas cheias, os sistemas cardiovasculares das pessoas trabalham em suas taxas mais eficientes.

Alguns médicos também acreditam que a atração gravitacional da lua pode afetar o fluxo de líquidos no corpo humano. Se este fosse o caso, no entanto, deveria aumentar os problemas com pedras nos rins em luas cheias e novas. Mas um estudo publicado na revista Emergency Medicine International concluiu que as internações de pedras nos rins não variam de acordo com os ciclos lunares.

Ainda assim, outras pesquisas sugerem o oposto. Em 2011, o Journal Urology publicou as conclusões de um estudo com quase 1.500 pacientes que descobriu que a cólica renal – dor geralmente causada por pedras nos rins – parece aumentar significativamente no momento da lua cheia. Além disso, um estudo do hospital da Universidade Liverpool em 2008 descobriu que as admissões de emergência urológica parecem ser afetadas por fases lunares – são maiores em dias de lua cheia.

A força da gravidade também pode fazer a diferença para outros fluidos em nossos corpos. Uma pesquisa com mais de 5.400 pacientes em 2011 mostrou que as admissões de emergência de pacientes psiquiátricos aumentam durante os períodos de lua cheia. Os cientistas da Universidade de Radboud, Nijmegen, Holanda, sugerem que isso pode ser causado pela gravidade da lua afetando o fluxo de fluidos no cérebro – e em células individuais do cérebro -, o que pode alterar o humor e o comportamento das pessoas.

O efeito da lua sobre a saúde dos pacientes também foi notado por clínicos gerais. Em um estudo publicado no jornal Pulse, o Dr. Peter Perkins entrevistou 79 médicos de clínica geral e descobriu que as chamadas de emergência para todas as condições aumentavam 3% na lua cheia e caíam 6% durante a lua nova. Pesquisa semelhante na Universidade de Leeds descobriu que as taxas de consulta subiam 3,6% durante a lua cheia.

Muitos especialistas permanecem céticos, no entanto. Numerosos estudos não encontraram nenhuma influência em áreas onde a lua também deveria ter algum efeito. Por exemplo, a lua pode ter sido adorada em tempos antigos como a deusa da fertilidade e do parto, mas não parece haver nenhuma ligação entre as suas fases e as taxas de parto. Esta foi a conclusão de um estudo de 13.000 nascimentos da Universidade de São Paulo, publicada no International Journal of Biometereology em julho do ano passado.

E agora, Doutor?

Digamos que foi aceito cientificamente que a lua tem um efeito em nossas vidas. Ele é somente devido a sua atração gravitacional? Isso explica tudo?

Alguns especialistas argumentam que esse efeito na verdade pode ser causado pela proximidade da lua, que distorce o campo magnético da Terra. Contudo, os críticos dizem que tal efeito é pequeno em comparação com o nosso ambiente doméstico, que é cheio de ímãs.

Talvez a influência lunar também possa ser mais simples do que forças invisíveis – pode ser causada por alterações nos níveis naturais de luz. A luz da lua cheia é até 16 vezes maior do que em outras fases lunares.

Pesquisadores da University College London descobriram que o número de crises epilépticas, que estão relacionadas com a atividade elétrica no cérebro, caem quando a lua está mais brilhante. Estes resultados sugerem que as crises epilépticas são menos prováveis de ocorrer em noites claras. O hormônio melatonina, secretado apenas durante a noite e no escuro, pode estar implicado nesse efeito.

Até agora, todos os esforços de pesquisa nos deixam com mais questões do que respostas. E, mesmo que provarmos que a lua tem uma influência médica, o que devemos fazer com esse conhecimento?

Embora possa ajudar algumas pessoas com epilepsia a reduzir o risco de ataques em certas noites, causaria um caos generalizado se os hospitais cancelassem todas as operações cirúrgicas nas noites em que a fase lunar parecesse estatisticamente ruim para o paciente. Considerar uma ideia como essa, aliás, já soa lunático. [DailyMail]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 3,00 de 5)

5 comentários

  • Deijivan Hanavan:

    Minha avó dizia que cortar o cabelo durante a lua cheia faz com que ele cresça mais rápido… acho que ela merecia pelo menos um Nobel póstumo depois desta notícia idiota!
    O estudo não tem nenhum respaldo estatístico válido e, se tivesse, eu duvidaria insistentemente da sua veracidade, pois continuaria acreditando que os dados foram manipulados, já que isto é algo sem o menor sentido. Para mim não existe controvérsia nenhuma… isto é simplesmente um absurdo!
    O que fizeram no Hospital Central de Augsburg e o que este Dr. Frank Sellke diz ser um estudo estatístico, é mera coleta de dados sem nenhum fundamento de pesquisa! Seria o mesmo que alguém sair por aí proclamando que depois de analisar os 10 mil últimos casos de assassinato onde o autor do crime foi preso e descobrir que 15% deles no ato do crime estavam usando uma camisa ou camiseta com predominância da cor vermelha e, portanto, o uso de camiseta vermelha pode te transformar em um assassino. A lógica é a mesma!

  • João Pedro:

    Hype-pseudo-science agora?

    Toda a premissa da pesquisa está errada:
    “Alguns especialistas acreditam que esse efeito pode ser causado pela atração gravitacional da lua, que afeta as funções do coração.”

    O maior engano é achar que a fase da Lua altera o efeito gravitacional da mesma sobre a Terra. Não muda ! é apenas um fenômeno óptico envolvendo o ângulo da luz solar e a posição da Terra e da Lua no espaço. A distância entre a Terra e a Lua não se altera dependendo a fase, acredito que a massa dos dois corpos também não se alterem, então como a gravidade poderia se alterar? Mais lógico seria fazer a pesquisa considerando os mínimos e máximos lunares, as distâncias relativas às órbitas mais curtas e mais longas da elipse.

    “Quando a lua está cheia e em luas novas (quando o sol e a lua estão alinhados), a atração gravitacional da lua e do sol são combinadas, e a gravidade supostamente atinge seu ponto mais forte. Isso pode ter um efeito benéfico sobre a circulação humana.”

    Como assim? não sei se os “especialistas” sabem, mas a fase lunar é diferente dependendo o local onde você se encontra no planeta, quando o Sol está alinhado com a Terra não quer dizer que será Lua cheia ou nova em todos os locais!

    Bom, se a fase lunar não altera a gravidade, altera a luminosidade. O que é aceitável numa pescaria, em ambiente ermo e isolado, mas de forma alguma em uma cidade, hospital ou qualquer outro ambiente com luz artificial! Qualquer lâmpada vale mais que uma Lua cheia!

  • Jonatas Almeida da Silva:

    O resultado de uma pesquisa estatística não é confiável, a menos que seja confirmado num segundo teste, pra definir que seja uma tendência estabelecida.
    Minha hipótese seria biológica (mais precisamente um relógio biológico, com um padrão de épocas ainda herdado na memória genética, especulação minha, é claro) – a atividade biológica é mais intensa durante a lua cheia, principalmente dos lobos, pois a maior claridade facilita a caça, tem o aspecto da escolha do animal ao ver que é noite clara, mas tem também um instinto o guiando – isso poderia ser talvez genético – herança de memórias genéticas dos ancestrais.
    Isso por milhões de anos pode ter sutilmente acostumado os organismos vivos a um funcionamento específico em específicas fases lunares, a maior parte da nossa herança genética vem do maior tempo como ser humano como selvagem, vivendo noites distintas em distintas fases da Lua.

  • Carla Brenner:

    Óbvio que a lua influencia as coisas aqui na terra. É só conversar com agricultores. Há fase da lua para plantar, para podar, para colher e para fazer não vingar (ervas daninhas, etc). Pelo que parece tem a ver com campo gravitacional e nível da água nos organismos. Há uma contradição, porém, na argumentação dos “especialistas”. Se acham que não tem a ver com distorção no campo eletromagnético da terra porque no nosso ambiente doméstico há muitos imas, porque acham que tem a ver com a luz da lua cheia se em nosso ambiente doméstico temos luz elétrica?

    • João Pedro:

      “É só conversar com agricultores”

      Carla, desta forma você pode fazer uma pesquisa étnica, sociológica ou antropológica, mas para além disto, dizer que a Lua realmente afeta os eventos citados, é exagero. A ciência se baseia em testes, refutabilidade e questionamento, neste quesito, nunca vi um receituário agronômico designando uma prática em determinada fase da Lua, já que todos os testes mostram não haver qualquer relação entre os eventos.

Deixe seu comentário!