As substâncias químicas do seu café

Por , em 13.05.2013

O café é uma bebida muito popular no Brasil, com muitas pessoas apreciando uma xícara a qualquer momento do dia. Mas você sabia que é a química por trás do cafezinho que o torna tão agradável?

O grão de café é onde tudo começa. O café é feito a partir dos grãos torrados do fruto do cafeeiro, e consiste em uma variedade de compostos que reagem de várias maneiras quando você prepara o líquido. Além disso, existem diferentes tipos de grãos, como arábica e robusta, cada um com diferentes constituintes químicos em diferentes porcentagens.

Produtos químicos no café

Alguns dos produtos químicos que você pode encontrar no café incluem cafeína, além de traços de purinas, trigonelina, aminoácidos, ácidos alifáticos, carboidratos, lipídios, glicosídeos, minerais e potássio. Muitos destes compostos são transformados durante a torrefação dos grãos. Alguns são na verdade completamente destruídos.

Aroma

Você pode não perceber, mas é o aroma do café que o torna especial. O aroma do café filtrado é distintamente diferente do café instantâneo. O aroma é o que lhe dá seu sabor típico, doce, salgado, amargo e azedo ao mesmo tempo. Existem mais de 800 compostos aromáticos de café.

Cafeína

Quem quer se manter acordado geralmente toma café. Isso porque a cafeína é um estimulante natural encontrado em folhas, sementes e frutos de mais de sessenta plantas diferentes ao redor do mundo. É a substância psicoativa mais amplamente utilizada na Terra.

O que isto significa é que a xícara de café quente é a bebida mais popular para manter as pessoas despertas – mas não é a única bebida que tem cafeína. Você pode encontrá-la também no chá, no cacau, em bebidas energéticas e refrigerantes.

Cafeína em excesso, no entanto, pode não ser boa. Duas xícaras de café por dia não nos afeta, mas a substância pode, de fato, ter efeitos no nosso organismo.

Cafeína é facilmente absorvida pelo estômago. É possível sentir seu efeito uma hora após beber café. Depois disso, seu efeito diminui, dependendo de quanto você tomou.

Estudos têm demonstrado que a cafeína pode afetar o sistema cardiovascular e nervoso. Também aumenta o metabolismo corporal e leva a efeitos diferentes no corpo, cérebro e coração.

Beber cafeína bloqueia a adenosina, uma substância química secretada pelo sistema nervoso que dá ao corpo um efeito calmante. Ao mesmo tempo, libera adrenalina, nos dando um sentimento de “luta ou fuga”. O resultado é a frequência cardíaca aumenta rapidamente, os músculos se contraem e glicose extra é liberada no corpo para energia, aumentando a pressão arterial.

A cafeína pode afetar até o córtex cerebral, mantendo a pessoa alerta e aumentando a intensidade da atividade mental em seu cérebro.

Perigos

Tomar muito café pode ter seus inconvenientes. Usuários pesados de cafeína muitas vezes não dormem bem (não têm sono profundo). Além disso, cafeína é viciante, uma vez que aumenta a dopamina no corpo, o que nos dá uma sensação de prazer e felicidade.
Bebedores regulares de café podem não conseguir ficar sem a sua dose diária de cafeína. Se você para de repente de tomar café, os efeitos colaterais mais comuns são dor de cabeça, tontura, ansiedade, depressão e nervosismo.

Para evitar estes sintomas de abstinência, reduza lentamente a quantidade de cafeína que toma em um período de tempo. Parar bruscamente de ingerir cafeína pode levar a uma queda súbita da pressão arterial, pois o corpo fica muito sensível à adenosina, o que faz com que o sangue se acumule na cabeça (o que, por sua vez, leva a uma terrível dor de cabeça).[HTOC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,00 de 5)

Deixe seu comentário!