Rio de 1.500 km é descoberto em Marte

Por , em 21.01.2013

Os astrônomos da ESA, a Agência Espacial Europeia, liberaram imagens 3D incríveis da parte superior da região Reull Vallis, de Marte, que revelam o leito seco de um rio de 1.500 km de comprimento.

Originalmente, o rio, que em partes tinha 7 km de largura e 300 metros de profundidade, corria das serras de Promethei Terra para a enorme bacia Hellas. Para comparar, o rio Amazonas tem a largura máxima de 11 km (estação da seca) a 50 km (estação das chuvas), com 100 metros de profundidade.

As câmeras estereoscópicas a bordo do Mars Express também revelaram numerosos tributários que alimentavam o rio gigantesco.

À direita das imagens, podem ser vistas as montanhas de Promethei Terra, elevando-se a 2.500 metros acima das regiões planas ao redor, uma paisagem não muito diferente de outras do nosso planeta.

Igual à Terra

A equipe de cientistas da Mars Express informou que o rio tinha água em abundância entre 3,5 e 1,8 bilhões de anos atrás, durante o período Hesperiano.

Depois, começou o período Amazoniano, que invadiu o Reull Vallis com uma geleira. Esta geleira escavou o vale em que o rio estava, empurrando detritos e gelo, e causando as bordas vivas que podem ser vistas nas imagens.

Reunindo os dados dos robôs e sondas da Nasa e ESA, percebe-se que Marte sofreu os mesmos processos geológicos que aconteceram na Terra.

Geólogos planetários acreditam que o Reull Vallis é idêntico a outros vales glaciais da Terra, como o que pode ser visto no Yosemite, EUA. A certo ponto, Marte pode ter se parecido com isto:

parecido

Muito mais tarde, o vale sofreu o impacto de meteoros, originando as crateras que podem ser vistas nas imagens abaixo. Acredita-se que elas e outros aspectos da paisagem podem conter bastante gelo.[ESA, Gizmodo]

Vista aérea, em cor natural

Vista aérea, em cor natural

Vista em perspectiva, mostrando um tributário conectando com o rio, no meio da imagem

Vista em perspectiva, mostrando um tributário conectando com o rio, no meio da imagem

As setas na foto destacam o rio e um dos seus tributários

As setas na foto destacam o rio e um dos seus tributários

O Reull Vallis em uma vista de perspectiva, com uma cratera preenchida de sedimentos em primeiro plano

O Reull Vallis em uma vista de perspectiva, com uma cratera preenchida de sedimentos em primeiro plano

Imagem estereoscópica, para quem tiver óculos anaglíficos (lente esquerda vermelha, lente direita azul ou ciano) para ver em 3D

Imagem estereoscópica, para quem tiver óculos anaglíficos (lente esquerda vermelha, lente direita azul ou ciano) para ver em 3D

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 4,50 de 5)

17 comentários

  • Paulo Seibel:

    Lá nos anos 50 já se sabia da existência de água em Marte. Fritz Kan (físico alemão) já falava dos leitos de rio (secos) existentes em Marte

    • Cesar Grossmann:

      Paulo, falar que tinha rios e mostrar as evidências da existência dos rios são coisas diferentes.

  • crys:

    ah,vcs tão de sacanagem,2 dias e meus comentarios estão todos barrados,penssei q esse site respeitasse mais as opinioes,tô cancelando agora minha inscriçao aq

  • Alex Moté:

    Mto maneiro!!!

  • Mauro Senna:

    Tanto esse “rio” quanto seu tributário podem ser um RIO DE LAVA e SEU TRIBUTÁRIO TAMBÉM DE LAVA. Podemos ver e suspeitar disso especialmente porque existem montanhas, possíveis vulcões, imediatamente acima do tributário. Isso não significa que foi algum dia um rio de água somente pela sua forma análoga a rios hídricos da Terra.

  • Paulo Galliza:

    …se esse rio existiu há milhões de anos, a quantidade de águas que correu por ele foi muito grande. Para onde foi essa água? Perdeu-se no espaço? – Claro que não! Essa água está no Planeta em algum lugar. Vamos encontrá-la. E… com ela formas vivas!! É uma questão de honra… e de oportunidade! Boa sorte aos homens de boa vontade!

  • Daniel Falco:

    afinal de conta o que aconteceu com a água de Marte?????

  • crys:

    Pô,quando olhei a foto azul,pensei quê tava cheio de água(penssei ,até quê enfim algo extraordinario).

  • Renan Altair Nardi:

    Se todo mundo apresenta hipóteses e teorias, algumas ridículas, aí vai mais uma que também pode ser classificada por ridícula.
    Por certo, há bilhões de anos havia vida em Mars. Talvez inteligente. O planeta por algum motivo tornou-se estéril. Na época a Terra deveria ser muito quente. Resfriou-se. Em Marte a vida estava se tornando impossível. Não teria a vida de Marte migrado para a Terra? Pelos mesmos motivos não acabará a vida da Terra migrando para Vênus? E daí para a galáxia ?
    Renan A. Nardi.

    • Alexandre Domingo Albuquerque:

      Na verdade voce pode estar certo, mas errou a ordem das coisas. Viríamos de Venus e com o crescimento Solar indo pra trás: Terra, Marte.

  • Marcos Hansen:

    Seria interessante se as sondas pousarem nas regiões onde há gelo, exemplo: Polo Norte e Sul de marte. Mas não próximo, mas na verdade no meio mesmo.

    • Jonatas:

      Não sei ao certo mas acho que há uma preocupação quanto a integridade desses locais, mante-los a salvo de impactos e possível contaminação.

    • Paulo Galliza:

      …contaminação? Que legal! Por germes? …ou por produtos orgânicos? Melhor ainda!

    • Jonatas:

      Os dois. Para encontrar vida extraterrestre, temos que tomar o cuidado para não ser vida que nos mesmo levamos – e como…, ate porque alguns organismos são durões o bastante para Marte.

  • Jonatas:

    Geralmente escolhem Marineres, o Monte Olimpo e o Labirinto da Noite como lugares favoritos em Marte. Eu pessoalmente acho o Reull Vallis o lugar mais fascinante, ainda mais agora. 😉

    • Paulo Galliza:

      …vamos comprar um terreno nessa região. Será muito valorizado no curto prazo!

    • Jonatas:

      Acho que ainda não existe uma legislação para a ocupação de terrenos em outros Planetas… Então é só chegar lá primeiro e será seu. 😀

Deixe seu comentário!