Outros sistemas solares não seguem as regras do nosso

Por , em 23.11.2014

Em nosso sistema solar, planetas menores, como Mercúrio e Vênus, orbitam o sol de perto, enquanto planetas maiores, como Júpiter, tendem a orbitar mais de longe. Parece natural que seja assim. Porém, outros sistemas solares não seguem essa mesma regra.

Quais são as regras de outros sistemas solares

Grandes planetas que orbitam suas estrelas de muito perto, alguns a um décimo da distância que existe entre a Terra e o sol, são conhecidos como Júpiteres Quentes (assim batizados porque eles têm uma massa semelhante à de Júpiter). Ao contrário dos planetas do nosso sistema solar, alguns desses planetas têm órbitas elípticas extraordinariamente incomuns.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, iniciaram estudos para descobrir como Júpiteres Quentes orbitam ao redor de suas estrelas tão de perto, e se a resposta tinha algo a ver com as suas órbitas elípticas incomuns.

Conclusão

Os pesquisadores fizeram mais de 1.000 simulações para observar os movimentos de Júpiteres Quentes em relação aos outros planetas em seus respectivos sistemas solares. E eles descobriram que os grandes planetas que orbitam mais longe dos sóis são capazes de exercer uma força gravitacional sobre os planetas que orbitam mais perto da estrela, de forma que planetas grandes surpreendentemente moldam os ângulos das órbitas dos planetas menores.

“Nós meio que ingenuamente esperávamos que todos os planetas se comportassem como os do nosso sistema solar, em que todos eles estão em órbita no mesmo plano”, disse Rebekah Dawson, autora principal do estudo, que foi publicado na revista Science. “Então, descobrir que existe essa população de planetas que têm uma diferença muito significativa em seus planos é surpreendente”. [NY Times]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Tony E Nalda Dias:

    Se o universo for infinito, nos oferece infinitas possibilades nos levando a questionar se as leis da física são realmente universais.

    • Cesar Grossmann:

      Vários cientistas já se perguntaram isso, e as observações astronômicas tem sido usadas para responder isso: sim, as leis da física são universais. Pelo menos até onde podemos ver.

  • Cesar Grossmann:

    A posição não é ingênua, é modesta, é copernicana, é supor que não estamos em um lugar especial no Universo.

    • Elvis Teixeira:

      Concordo, é saudável considerar o que vemos na natureza pela primeira vez como um caso típico ao invés de uma exceção mágica.

  • P:

    Incrivel como a dinâmica universal pode nos surpreender. E há quem diga que a eternidade seja entediante. Olha as infinitas descobertas.

Deixe seu comentário!