Turismo espacial: Virgin Galactic finalmente cruza a fronteira e leva seres humanos ao espaço

Por , em 14.12.2018

Voos turísticos para o espaço estão deixando o campo da ficção e se tornando cada vez mais reais. A empresa de turismo espacial Virgin Galactic acaba de enviar um veículo para o espaço pela primeira vez. Nesta quinta-feira, o avião espacial destinado a levar passageiros da empresa, o VSS Unity, também conhecido como SpaceShipTwo, acionou seu motor de foguete acima do deserto de Mojave, nos EUA. A espaçonave subiu acima do limite de 80 km, a partir do qual a Força Aérea americana define como o início do espaço (outras organizações, como a World Air Sports Federation ou a Fédération Aeronautique Internationale (FAI), definem 100 km como a altitude onde o espaço começa – no entanto, a FAI diz que está considerando mudar a definição para 80 km com base em novas pesquisas).

Este marco é mais um capítulo da batalha entre bilionários para levar civis para o espaço. A corrida espacial civil, que pode começar no próximo ano, com a Virgin Galactic do bilionário britânico Richard Branson, deve ser composta por empresas como a Blue Origin, do fundador da Amazon, Jeff Bezos, e a Space X, de Elon Musk.

Esta é a primeira vez que a Virgin Galactic cruzou essa linha em sua jornada de 14 anos para oferecer voos espaciais a seus clientes. O vídeo abaixo mostra a vista da espaçonave no espaço e uma entrevista, com legendas em inglês, com o fundador da companhia, Richard Branson. “É um dia histórico. Acredito que essa é a primeira empresa de espaçonaves comerciais a colocar pessoas no espaço”, diz Branson.

O passo mais importante nessa empreitada até agora havia sido o lançamento do VSS Unity em 2016. Antes desta quinta-feira, o mais alto que o veículo tinha subido era pouco mais de 52 km. Agora, além de subir mais de 80 km, a nave superou a velocidade de Mach 2,9 – o que significa 2,9 vezes a velocidade do som.

A empresa afirma que pode ir ainda mais alto. Para chegar à altura de hoje, o veículo acendeu seu motor de bordo por um total de 60 segundos, mas o hardware pode funcionar por mais tempo.

Todos os testes, incluindo este, mais recente, ajudarão a certificar que o VSS Unity é seguro para transportar passageiros. O objetivo final da Virgin Galactic é usar o avião espacial para enviar os clientes para a borda do espaço, onde eles podem experimentar alguns minutos de ausência de peso.

Passeio pelo espaço

Diferente de outras naves espaciais, lançadas a partir do solo, a rota do VSS Unity para o espaço é única. O avião é levado a uma altitude de cerca de 45.000 pés por uma aeronave de cabine dupla chamada WhiteKnightTwo. A partir daí, o VSS Unity é liberado e liga seu motor para voar até a sua altitude máxima. Eventualmente, o motor é desligado. É nessa parte da viagem que os futuros passageiros terão sua experiência no espaço antes que o avião volte para a Terra para realizar o pouso em uma pista.

10 inesperados efeitos colaterais das viagens espaciais nos seres humanos

O passeio, como era de se esperar, não será nada barato. A empresa alega já ter vendido centenas de passagens para essa experiência única por 250 mil dólares cada.

A Virgin, porém, está quase 10 anos atrasada. Originalmente, o fundador da empresa Richard Branson havia afirmado que a empresa estaria no espaço já em 2009, usando o seu primeiro avião espacial, o VSS Enterprise. Alguns percalços no caminho, porém, impediram que isso se tornasse realidade. O veículo nunca chegou tão longe. Ele só atingiu uma altitude de cerca de 21 km. Em 2014, o VSS Enterprise foi destruído no meio de um teste de voo em um trágico acidente que levou à morte de um dos dois pilotos do veículo.

A última vez que alguém havia ido ao espaço a partir do solo americano havia sido em 2011, com o último voo de ônibus espacial da NASA. Desde então, todos os astronautas da NASA foram lançados ao espaço nos foguetes russos Soyuz a partir do Cazaquistão, e nenhum lançamento tripulado ocorreu nos EUA. Os dois co-pilotos do VSS Unity, Mark “Forger” Stucky e C. J. Sturckow, foram os primeiros em sete anos. A dupla, entretanto, não entrou em órbita, já que o VSS Unity é um veículo suborbital.

Simulações

Além dos dois seres humanos, estavam a bordo do voo também quatro cargas de teste da NASA. A agência espacial selecionou a Virgin Galactic para realizar pesquisas como parte do Programa de Oportunidades de Voo da NASA, uma iniciativa através da qual empresas comerciais ajudam a NASA a fazer pesquisas usando veículos suborbitais. As cargas também ajudaram a distribuir o peso no avião espacial, o que ajudou a simular como poderia ser quando houver passageiros a bordo.

Chegar ao espaço era uma meta importante para a Virgin Galactic, mas a empresa ainda planeja fazer mais testes com o VSS Unity antes de abrir voos para seus clientes. Voos mais motorizados são planejados como parte da primeira fase de testes, que está sendo feita a partir das instalações da Virgin Galactic no Mojave Air and Space Port. Uma vez que o teste seja feito, a empresa passará para a próxima fase, chamada “teste de cabine”, quando os funcionários da empresa passarão pelos procedimentos que devem ser utilizados durante os voos comerciais.

Os voos comerciais sairão do Spaceport America, no Novo México. [The Verge, The Guardian, BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 4,78 de 5)

Deixe seu comentário!