Telescópio Extremamente Grande será construído no Chile

Publicado em 20.06.2012

O ESO (Observatório Europeu do Sul), principal organização intergovernamental em astronomia da Europa e observatório astronômico mais produtivo do mundo, anunciou recentemente a construção do “Telescópio Extremamente Grande Europeu”, o maior telescópio do mundo.

O ESO opera em três locais no Chile — La Silla, Paranal e Chajnantor — apesar de ser “europeu”. Uso o termo entre aspas, porque o projeto conta com quinze países membros, sendo um deles o Brasil, primeiro e único membro não europeu.

O ano de 2012 marca o 50º aniversário da fundação do ESO, apoiado por Áustria, Bélgica, Brasil, República Checa, Dinamarca, França, Finlândia, Alemanha, Itália, Países Baixos (Holanda), Portugal, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido.

O maior telescópio atualmente, o Telescópio Muito Grande (Very Large Telescope, VLT), o mais avançado observatório de luz visível e maior conjunto de telescópios ópticos do mundo em uma única localização, também é do ESO, operado em Paranal.

O novo telescópio terá um espelho de 39 metros, quatro vezes maior que o do VLT. Na impressão feita por um artista gráfico abaixo, dá para ter uma noção do seu tamanho, comparando-o com os carros a sua volta.

Sua localização no deserto do Chile serve para evitar a poluição. Também, o Telescópio Extremamente Grande (Extremely Large Telescope, ELT) ficará no alto de uma montanha de 3.060 metros, numa posição altamente privilegiada.

Com esse novo telescópio poderoso, os astrônomos poderão observar planetas rochosos escuros muito além do nosso sistema solar. Ele também pode ajudar a desvendar mistérios como a natureza dos buracos negros, a formação de “matéria escura“, que não pode ser observada diretamente, apesar de hipóteses sugerirem que ela cobre a maior parte do universo, e a “energia escura“, que parece conduzir a expansão do universo a ritmo acelerado.

O projeto, de custo de 872 milhões de libras esterlinas (2,83 bilhões de reais), já foi pré-aprovado e deverá ficar pronto até 2022.[DailyMail, ESO]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

5 Comentários

  1. Magnífico país andino, diante do esplendor dos Andes, uma MECA para Astrônomos profissionais e amadores. Ainda chega meu dia de visitar esse chão.
    Enquanto isso,
    Convido-os a visitarem:

    http://www.facebook.com/jonatas.almeidadasilva
    ou
    http://dominiosdosol.blogspot.com.br/2012/06/bem-vindos-plutao.html

    Para verem uma apresentação simples e introdutória em vídeo de uma Viagem 3D aos confins do Sistema Solar. Eu estudo 3D, numa ferramenta gratuita, a algum tempo e tenho essa ideia de aplicar astronomia e imaginação científica numa produção. Desde já advirto-os que não sou a BBC, sou um desenvolvedor sozinho e com um poder computacional (memória, hardware, renderização) modesto, mas estou fazendo o melhor que posso.
    Peço comentários, ideias, críticas construtivas, e humildemente um “curtir” no caso de quem ver no facebook.

    Thumb up 6
  2. por que nao investir em telescopios no espaço?? estes ultimos parecem ter dado mais resultado aos pesquisadores do estes terrestres

    em tempo: alguem que entende, sabe dizer se nesse tamanho de lente ja consegue ver os veiculos das missoes apollo na lua?

    Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
inferno
Crença no inferno reduz comportamento criminoso?

Nova pesquisa mostra...

Fechar