Café ajuda a deixar você mais sóbrio?

Por , em 10.12.2009

Da próxima vez que você beber um pouco além da conta e algum amigo oferecer um café para você ficar sóbrio, saiba que cientistas não recomendam esta combinação. De acordo com pesquisas, a cafeína não tem nenhum efeito para combater o efeito do álcool, além de poder levar o bêbado a tomar algumas decisões pouco espertas, como a dirigir.

De acordo com pesquisadores, isso acontece porque o consumo de cafeína e álcool faz com que a pessoa se sinta mais desperta e competente, e o resultado disso faz com que ela não perceba quão bêbada realmente está. Em um novo estudo publicado na revista Behavioral Neuroscience cientistas deram a ratos adultos várias doses, separadamente e juntas, de cafeína e etanol – álcool puro. As doses de cafeína eram equivalentes a uma até seis xícaras de café para humanos. Um grupo de controle de ratos recebeu apenas uma solução salina.

» Tomar café “encolhe” os seios

De acordo com a pesquisa, a cafeína fez com que os ratos ficassem mais alertas, mas não reverteu os problemas de aprendizado causados pelo álcool, incluindo a habilidade de evitar coisas que eles sabiam que iriam machucá-los. Os pesquisadores também testaram três aspectos do comportamento dos ratos: a locomoção geral, a ansiedade, testada a partir do tempo gasto explorando um labirinto, e a habilidade de aprender quais partes do labirinto poderiam causar danos, expondo-os a luzes brilhantes ou sons altos.

O etanol, como era esperado, aumentou a mobilidade e diminui a ansiedade e o aprendizado em proporção com as doses dadas aos ratos. Em outras palavras, os animais bêbados ficaram mais relaxados e andaram mais pelo labirinto, mas aprenderam muito menos que os ratos do grupo de controle, que evitaram as partes do labirinto que apresentavam os estímulos desagradáveis.

» Café atrapalha o sono, mesmo várias horas depois do consumo

Sozinha, a cafeína aumentou a ansiedade e reduziu tanto o aprendizado quando a locomoção. Comparados com os animais do grupo de controle, os ratos que receberam a cafeína ficaram mais inibidos e menos espertos para evitar o caminho incômodo no labirinto.

Quando as duas substâncias foram ministradas juntas, o etanol bloqueou a capacidade da cafeína de deixar os ratos mais ansiosos. Entretanto, a cafeína não reverteu o efeito negativo do etanol sobre o aprendizado. Como resultado disso, o álcool ajudou a acalmar os tremores causados pelo álcool, deixando o animal mais relaxado mas menos capaz de evitar ameaças. Uma combinação que os autores especulam que pode fazer com que as pessoas fiquem mais crédulas que não estão bêbadas ou debilitadas para realizar algumas tarefas.

“A conclusão é que, embora o apelo de ficar a noite toda bebendo, evidências mostram que há grandes riscos associados à mistura de cafeína e álcool”, explica Thomas Goul, co-autor do estudo. O FDA, órgão estadunidense responsável pela regulamentação de alimentos e bebidas, afirma estar analisando a segurança e legalidadeda produção de bebidas que misturem álcool e cafeína.

» Físicos criam a caneca de café perfeita

Até o momento, o FDA só aprovou o uso de cafeína em refrigerantes em concentrações menores que 200 partes por milhão, e não aprovou a adição de cafeína em nenhum nível a bebidas alcoólicas. De acordo com a lei dos Estados Unidos, uma substância adicionada intencionalmente a um alimento, como a cafeína nas bebidas alcoólicas, é considerada ilegal e insegura a não ser que tenha sido permitida pelo FDA. [Scientific Blogging]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • Dowglasz:

    Legal saber disso, mas é dificil convencer os que fazem essa mistura. Paraxo causado pela propria mistura…

Deixe seu comentário!