Algumas pessoas realmente são piores em lembrar nomes?

Há uma razão muito simples para os nomes de pessoas que você acabou de conhecer simplesmente fugirem da sua cabeça momentos depois: nomes são meio sem propósito. Especialistas dizem que quanto mais caminhos até uma memória você tem, mais fácil é recuperar essa memória, e isso muitas vezes simplesmente não acontece naturalmente com nomes.

Por exemplo, mesmo detalhes aparentemente tão mínimos como o que você estava vestindo em um determinado dia ou como estava o tempo podem tornar mais fácil lembrar outros eventos que ocorreram naquele dia, como os assuntos de uma conversa que você teve com um amigo. Mas os nomes, por outro lado, geralmente não dão ao seu cérebro muita informação para guardar além da palavra em si.

É claro que a escolha de como batizar uma pessoa pede envolver muita história familiar ou um grande significado sentimental, mas quando você conhece alguém em uma festa, não há nenhuma razão facilmente perceptível de por que esse cara deve ser chamado de João e aquele cara deve ser chamado de José. Os nomes são completamente arbitrários e não contém informação específica alguma. Se seu cérebro não consegue fazer conexões entre vários pedaços de informação, você está mais propenso a esquecer essa informação.

Lembrança por associação

Por outro lado, é muito mais fácil lembrar a ocupação de uma pessoa, um fenômeno que os especialistas chamam de efeito Baker-baker. Em inglês, Baker pode ser um nome próprio, mas também é como se diz “padeiro”. Então, seria mais mais fácil lembrar que alguém é um padeiro – talvez porque você tenha formado uma imagem mental de seu novo conhecido em uma cozinha, coberto de farinha – do que lembrar que o seu sobrenome é Baker.

Em um estudo realizado por Lori E. James, professora do Departamento de Psicologia da Universidade do Colorado (EUA), primeiro foram mostradas aos participantes fotos de estranhos, incluindo algumas informações como o nome e a ocupação da pessoa, e, algum tempo depois, foi pedido que recordassem as informações, quando viram as imagens novamente. A maioria dos voluntários do estudo acertou o emprego das pessoas, mas teve dificuldades com os nomes.

Dicas

Especialistas de memória dão algumas dicas para combater esta peculiaridade psicológica irritante e muitas vezes embaraçosa. Você pode tentar repetir o nome da pessoa várias vezes depois de terem sido apresentados (tomando o devido cuidado para não parecer um maníaco), ou inventar associações entre o nome e alguma outra informação – se seu nome é Leda, imagine-a com uma blusa de seda, por exemplo.

Outro estudo recente sobre o assunto, de pesquisadores da Universidade Estadual do Colorado, sugere que a maioria das pessoas são excessivamente confiantes quando respondem à pergunta de quão bem conseguem se lembrar de novos nomes. Porém, quando percebem que não são tão bons como gostariam de pensar que são, consequentemente passam mais tempo tentando conscientemente reter nomes na memória e isso parece melhorar a sua capacidade de recordar novos nomes. Ou seja, há momentos em que é melhor simplesmente admitir a derrota. [CNN, PubMed]

Por: Jéssica MaesEm: 26.05.2015 | Em Comportamento, Principal  | Tags: , , , ,  
Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta