Atletas olímpicos têm razão para se preocupar com o Zika no Rio de Janeiro?

Por , em 23.06.2016
Rory Mcllroy

Rory Mcllroy

O golfista Rory Mcllroy é o mais recente atleta a se retirar dos Jogos Olímpicos no Brasil devido a preocupações com o vírus Zika.

Dois outros jogadores – Vijay Singh e Marc Leishman – já desistiram de vir ao Rio de Janeiro por medo do vírus.

Em um comunicado, Mcllroy, campeão quatro vezes do Grand Slam de golfe, que representaria a Irlanda, disse: “Minha saúde e a saúde da minha família vem antes de tudo. Mesmo que o risco de infecção seja considerado baixo, é um risco, e um risco que não estou disposto a tomar”.

O vírus

Os Jogos Olímpicos de Verão de 2016 vão acontecer em agosto no Rio de Janeiro. Como todos que estão acompanhando as notícias sabem, nosso país foi duramente atingido pelo Zika.

Mais de 1.500 bebês nasceram com microcefalia ou outros defeitos de nascença suspeitos de estarem relacionados a infecções do vírus, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

O Zika é transmitido principalmente por mosquitos, mas também pode se espalhar através de relações sexuais desprotegidas.

Lamentações

Grupos desportivos ficaram particularmente decepcionados com a decisão de Mcllroy, porque 2016 marcaria o retorno do golfe como um esporte olímpico reconhecido após uma ausência de 112 anos. A última vez em que a competição esteve presente nos Jogos foi em 1904 em St. Louis, nos EUA.

A Federação Internacional de Golfe afirmou que estava desapontada com a decisão do Mcllroy, mas que reconhece “que alguns jogadores terão que pesar pessoalmente um conjunto único de circunstâncias enquanto contemplam a sua participação” nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

O Conselho Olímpico da Irlanda diz que tem “total confiança de que os Jogos serão seguros para todos os atletas”, mas que cada indivíduo é quem deve tomar sua decisão final.

O Zika não é uma grande preocupação

“Rory Mcllroy tomou uma decisão pessoal de não participar dos Jogos Olímpicos”, disse Jimmy Whitworth, professor na Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, no Reino Unido, em um comunicado.

No entanto, “campos de golfe não são lugares particularmente perigosos para ficar infectado com Zika”, complementa. Os mosquitos que transmitem o vírus – Aedes aegypti e Aedes albopictus – vivem perto de casas e não voam para longe de seus locais de reprodução.

“Para a maioria das pessoas, o vírus Zika provoca uma doença leve, muitas vezes nem mesmo clinicamente aparente. Se você ficar doente, estará totalmente recuperado em cerca de uma semana. Raramente complicações, como síndrome de Guillain-Barré, podem ocorrer, mas devemos colocar isto em perspectiva. Esta síndrome é mais comum após infecções intestinais tais como Campylobacter, que são susceptíveis de ser mais comuns no Rio do que Zika”, explica Whitworth.

Por fim, o professor lembra que as estimativas mais credíveis sugerem que não mais de 10 a 20 pessoas serão infectadas com Zika entre o meio milhão de atletas e visitantes que passarão pelo Brasil para os Jogos Olímpicos.

Não surtem!

Se McIlroy está pensando em se tornar um pai no próximo ano, a sua decisão é “perfeitamente razoável”, de acordo com Derek Gatherer, professor da Divisão de Ciências Biomédicas e da Vida na Universidade de Lancaster, no Reino Unido. “Por outro lado, se ele não vai ser pai em breve, ele tem pouco com que se preocupar, desde que tome as precauções normais para países tropicais”.

Jonathan Ball, professor de virologia molecular na Universidade de Nottingham, também no Reino Unido, disse: “Obviamente, eu não sei as razões para esta decisão, mas ela me parece extrema. As chances de ser infectado por vírus Zika é baixa, especialmente se a pessoa se proteger de picadas de mosquito, cobrindo-se e usando um bom repelente”.

O saltador de longa distância britânico Greg Rutherford, por exemplo, não desistiu dos Jogos, mas resolveu congelar seu esperma antes da competição devido a preocupações com o Zika. Isso porque ele e sua parceira Susie Verrill querem ter mais filhos, e como a pesquisa sobre o vírus ainda é incipiente, não gostariam de se colocar em uma situação que poderia ser evitada.

De fato, os pesquisadores ainda não sabem por quanto tempo o vírus Zika permanece no sêmen de um homem após a infecção. Os Centros de Controle e Prevenção de Doença dos EUA recomendam que homens diagnosticados com Zika considerem o uso de preservativos ou não tenham relações sexuais por pelo menos 6 meses. [WebMD]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • EvandroJGC:

    Eu mesmo não viria pra cá. Se não é o Zika e outros vírus, são os Z1k4s que te assaltam.
    Mas como eu já moro aqui, tá de boa…

  • Marcos Fagundes:

    O ZICA É O E MENOS, O PIOR É A VIOLENCIA. AS OLIM-PIADAS SERÃO UM FRACASSO POR AUSENCIA DE VARIOS ATLETAS ALEM DO PREÇO DO INGRESSO

Deixe seu comentário!