Cientistas criam “raio trator” estilo Star Trek

Por , em 28.01.2013

Em 2011, pesquisadores da China e Hong Kong mostraram como criar um “raio trator”, usando raio laser com uma determinada forma. Na carona deste trabalho, a NASA financiou um estudo para examinar como a técnica poderia ser usada para manipular amostras no espaço.

A nova pesquisa, publicada dia 20 de janeiro na Nature Photonics, apresenta uma forma de movimentar partículas microscópicas (no caso deste estudo, esferas) utilizando diferentes configurações geométricas de raio laser.

Normalmente, quando um objeto é atingido pela luz, ele é movimentado na direção da luz. Este fenômeno foi notado pela primeira vez pelo astrônomo Johannes Kepler em 1619, quando ele percebeu que a cauda dos cometas sempre apontava para longe do sol.

Isto acontece por que os fótons carregam momento. Já se cogita até usar este efeito para afastar asteroides, pintando sua superfície de branco para aumentar a transferência de momento.

Escolhendo leucócitos

A ideia de usar a luz para atrair um objeto, em vez de afastá-lo, é, portanto, bizarra ou no mínimo contra-intuitiva em um primeiro momento.

O trabalho do prof. Tomas Cizmar, pesquisador da Escola de Medicina da Universidade de St. Andrews, e do prof. Zemanek, do Instituto de Instrumentos Científicos (ISI) da República Tcheca, conseguiu demonstrar uma técnica que é bastante seletiva: usar o raio laser para atrair objetos com características especiais.

As aplicações possíveis são variadas, e eles acreditam que a principal seria a de selecionar partículas específicas em uma mistura. “Eventualmente, isto poderia ser usado para separar células brancas do sangue, por exemplo”, aponta Cizmar.

Ficção científica continua sendo ficção

Outras técnicas de atração com laser já haviam sido utilizadas antes, como o vórtex ótico para mover partículas usando feixes de luz, mas a nova técnica funciona com líquidos e vácuo.

Para quem está pensando em um raio trator como o que apareceu na ficção científica, capaz de movimentar objetos como naves espaciais, o professor Cizmar aponta que a técnica atual não vai chegar a tal ponto.

“Infelizmente, há uma transferência de energia. Na escala microscópica é OK, mas em uma escala macro, pode causar enormes problemas, como um massivo aquecimento do objeto. Então, capturar uma nave espacial está fora de questão”, diz o Dr. Cizmar. [BBC, DailyMail, Nature Photonics]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • John jones:

    sera que vai dar certo?

  • Marcos-DF2:

    Olá a todos !
    Muito bom artigo e concordo com voce, Jonatas: acho que mais alguns anos, teremos este raio trator tracionando coisas bem maiores do que partículas.
    Abraços a todos !

  • sergio_panceri:

    esses dias li relatos de uma das supostas vitimas da operação prato da decada de 70, e uma delas relata justamente que fora atirado um raio em sua direção no qual aparentava estar drenando o sangue ou algo do tipo Oo…
    sei lá até q ponto isto pode ser verdade, mas…

    • Marcos-DF2:

      Olá Sergio !
      Esta pessoa foi vítima do famoso “Chupa-Chupa”, que deu origem à investigação da Força Aérea Brasileira denominada “Operação Prato”, ocorrida no Pará na década de 80/90, salvo engano.
      O que a vítima relatou era exatamente o que ocorria, segundo a FAB: um raio de luz “atacava” as vítimas na altura do peito ou do pescoço, deixando uma marca e a pessoa se sentia fraca, daí a sensação de ter seu sangue chupado …
      Mais detalhes no Arquivo Nacional, que tem todos os documentos liberados pela FAB sobre a Operação.
      Abraços

  • Jonatas:

    Muito bom. Para a Enterprise se tornar real é só uma questão de tempo. 😀

Deixe seu comentário!