Cientistas podem ter encontrado evidencias de universos anteriores ao nosso

Por , em 22.08.2018

De acordo com um novo estudo da Universidade de Oxford (Reino Unido), podem existir evidências de universos anteriores ao nosso no espaço, especificamente restos de buracos negros desses outros universos.

Essa ideia é baseada em uma teoria chamada de “cosmologia cíclica conformada” (CCC). Segundo a hipótese, nosso universo passa por ciclos constantes de Big Bangs, ao invés de ter começado a partir de um único evento deste tipo.

Enquanto a maior parte do universo seria destruída de um ciclo para o outro, alguma radiação eletromagnética poderia sobreviver ao processo de reciclagem.

Onde encontrar a evidência?

“O que afirmamos que estamos vendo é o remanescente final depois que um buraco negro se evaporou no éon anterior”, disse o físico matemático Roger Penrose, da Universidade de Oxford, um dos autores do estudo e cocriador da teoria CCC.

A evidência viria na forma de “pontos de Hawking”, nomeados em homenagem ao físico Stephen Hawking. Ele teorizou que os buracos negros emitem uma radiação conhecida como radiação Hawking, e Penrose e seus colegas sugerem que tal radiação passe de um universo para o outro.

Os pontos de Hawking podem aparecer no calor remanescente do Big Bang no universo, conhecido como radiação cósmica de fundo de micro-ondas. Eles pareceriam círculos de luz no mapa dessa energia, o que significaria que um desses pontos de Hawking pode já ter sido encontrado pelo projeto BICEP2, que tem como objetivo justamente mapear a radiação de fundo.

Anteriormente, acreditava-se que esses pontos anômalos fossem causados por ondas gravitacionais de poeira interestelar. Penrose e seus colegas defendem, no entanto, que sua teoria poderia fornecer uma resposta mais intrigante. “Embora pareça problemático para a inflação cósmica, a existência de tais pontos anômalos é uma implicação da cosmologia cíclica conformada”, escreveram.

Problemas

Vale notar que a teoria do universo cíclico possui suas próprias controvérsias.

A maioria de nossas evidências sugere que a expansão do universo está acelerando, e que ele não é denso o suficiente para se comprimir de volta em um único ponto a fim de se expandir novamente, uma hipótese conhecida como Big Bounce.

Também ainda não encontramos nenhuma prova da radiação de Hawking. Então, embora essa seja uma teoria interessante, muito caminho precisa ser percorrido antes que alguém reivindique a existência definitiva de um universo anterior ao nosso. [IFLS]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (53 votos, média: 4,75 de 5)

5 comentários

  • Sergio Moreira:

    Se vcs não bloqueassem as pessoas vcs poderiam ter comentaristas mais inteligentes por aqui.

  • Guilherme Junqueira de Almeida:

    Ciência sacramentando pelo método científico tudo aquilo que nós, ocultistas e hinduístas, já conhecíamos por intuição akáshika.

    • Cesar Grossmann:

      Aham. Por que será que a “intuição akáshika” não proveu nenhum avanço para a humanidade, já que ela é tão sabichona?

    • Guilherme Junqueira de Almeida:

      Diga isso para Newton, para Halley, para Hooke, Paracelso, para Giordano Bruno, para Robert Fludd, para William Hoesche, para Charles Darwin, para Copérnico, para Galileu, para Einstein…

  • Marcello Sevach:

    Fico imaginando se o universo foro ciclico, talvez um deles ou a maioria deles a vida nao exista.

Deixe seu comentário!