O experimento que nos deu as primeiras pistas sobre a existência do DNA

Por , em 31.07.2013

Em 1928 (mais de vinte anos antes de James Watson e Francis Crick proporem o famoso “modelo de dupla-hélice“), o bacteriologista Frederick Griffith encontrou uma “pista” sobre a existência e o papel do DNA.

Certas bactérias, notou Griffith, ao entrar em contato com os “cadáveres” de outras, adquiriam novas características. Intrigado, o cientista isolou dois tipos de bactérias causadoras de pneumonia, sendo que um tipo era letal (capaz de passar despercebido pelo sistema imunológico) e outro não.

Ele matou as bactérias letais e injetou em cobaias, que não sofreram mal algum. Em seguida, injetou a variedade não letal, e o organismo dos ratos se defendeu. Contudo, quando Griffith injetou uma mistura dos dois tipos (sendo que as letais estavam mortas), as cobaias morreram, pois o tipo não letal “se transformou” devido ao contato com o letal.

Isso aconteceu porque o DNA das bactérias letais continuava presente, mesmo que elas estivessem mortas. Quando as bactérias não letais entraram em contato com esse DNA, incorporaram parte dele – algo que só seria compreendido a fundo anos mais tarde. Griffith atribuiu o fenômeno a uma misteriosa propriedade “transformativa”. [io9Princeton, The Journal of Experimental Medicine]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Pedro Ornellas:

    Muito antes de a ciência da genética ser conhecida pelo homem, Davi escreveu, em 460AC:
    “Elogiar-te-ei porque fui feito maravilhosamente, dum modo atemorizante. Teus trabalhos são maravilhosos, De que minha alma está bem apercebida. Meus ossos não te estavam ocultos
    quando fui feito às escondidas… Teus olhos viram até mesmo meu embrião, e todas as suas partes estavam assentadas por escrito no teu livro referente aos dias em que foram formadas,
    e ainda não havia nem sequer uma entre elas.”
    Salmos 139:14, 16

    • PhysicistJB:

      Muito antes da bíblia ser inventada pelo homem, os seres vivos já apresentavam propriedades de assimilação tal como descrito no texto.

Deixe seu comentário!