Google Glass agora funciona por controle mental

Por , em 14.07.2014

Cuidado, Homem de Ferro: nós estamos chegando. Uma equipe da empresa de interatividade This Place anunciou o desenvolvimento de um aplicativo para o Google Glass que fornece uma ponte (via Bluetooth) entre o dispositivo e um biossensor headset NeuroSky EEG. Batizado de MindRDR, o aplicativo permite ao usuário tirar uma fotografia e publicá-la no Facebook ou Twitter usando apenas sua mente.

É, aquilo mesmo que a gente achava que era coisa de cinema já está quase ao alcance das nossas mãos.

O Google Glass tem prós e contras. Ele é usado no rosto, então não precisa ser segurado. Com uma lente bem perto do olho, pode ser usado para vários propósitos. Do lado negativo, os comandos são dados por voz (“Ok, Glass…”) ou deslizando o dedo ao longo da estrutura lateral. Ambas as abordagens deixam muito a desejar. Falar em voz alta com o seu dispositivo em público pode ser irritante para os outros ou constrangedor para o usuário, enquanto ficar tocando a armação pode ser cansativo.

É neste nicho que a This Place quer se colocar – apostando que as pessoas sejam capazes de passar comandos ao Google Glass usando apenas pensamentos.

O MindRDR é apenas o primeiro passo. O aplicativo usa dados do sensor de eletroencefalograma (EEG) e os converte para informação visual através de uma linha branca sobreposta às imagens no visor da câmera. Concentrar-se na linha faz com que ela se mova lentamente para cima. Quando se atinge o topo do visor, uma foto é tirada. A repetição deste exercício faz com que a a foto seja enviada para a conta do usuário no Facebook ou Twitter.

A equipe responsável reconhece as limitações do aplicativo, porém ao mesmo tempo sugere que ele deve ser visto não como algo que alguém iria querer agora, mas algo que vai se transformar em verdadeiramente útil. Para catalisar esse processo, eles já liberaram o código para o aplicativo, tornando-o aberto. A esperança é que outros grupos levem a tecnologia adiante, por exemplo, adicionando funcionalidades e reduzindo o tamanho dos sensores de EEG. Em suma, fazendo coisas que um dia resultarão nos usuários conseguindo controlar o dispositivo totalmente com o seu cérebro.

Até agora, parece que os executivos da Google não estão impressionados e chegaram a divulgar um comunicado lembrando as pessoas que o Glass não pode ler mentes. Representantes da empresa disseram que não analisaram o MindRDR e não têm planos neste momento para adicioná-lo aos aplicativos da Glass Store. Não é muito difícil pensar que a equipe da This Place está se dedicando a um campo que a própria Google gostaria de explorar, por isso a rejeição. [Phys]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!