Incrível tratamento contra câncer de mama destrói tumor em apenas 11 dias

Por , em 15.03.2016

Câncer de mama é o tipo mais comum da doença entre mulheres de todo o mundo. O diagnóstico precoce é o melhor aliado atualmente, já que aumenta drasticamente a taxa de sucesso no tratamento contra o câncer. Apesar dos avanços nesta área, porém, 522 mil pessoas morreram no mundo todo em 2012, data do último relatório sobre a doença da Organização Mundial da Saúde.

Por isso, uma nova pesquisa apresentada na Conferência Europeia de Câncer de Mama que aconteceu em Amsterdã deixou especialistas animados. A pesquisa conduzida no Reino Unido pelo Cancer Research UK mostrou que uma combinação de dois remédios pode eliminar um tipo de câncer em apenas 11 dias.

Os remédios são trastuzumab e lapatinib, usados antes da mamoplastia em mulheres com tipo de câncer HER2 positivo.

HER2 positivo

Esse tipo de câncer recebe este nome porque tem grandes quantidades da molécula HER2 em sua superfície. Isso significa que esse tipo de tumor tem mais chances de responder a drogas projetadas para atingir esta molécula (como os dois remédios da pesquisa).

O tratamento selecionado depende de vários fatores, como o estágio do câncer, se a paciente já chegou na menopausa e o estado geral de saúde.

O estudo

O estudo, chamado de EPHOS B, incluiu 257 mulheres diagnosticadas com câncer de mama tipo HER2 positivo e que esperavam para fazer cirurgia. O trabalho foi dividido em duas fases.

Na primeira fase, as 130 mulheres foram distribuídas em três grupos – algumas receberam trastuzumab, outras lapatinib. Os dois primeiros grupos usaram o medicamento por 11 dias e antes da cirurgia. O terceiro grupo não recebeu nenhum remédio (este é o grupo de controle).

Na segunda fase, 127 mulheres foram divididas em três grupos: um que recebeu apenas trastuzumab, outro que recebeu uma combinação dos dois medicamentos, e um terceiro grupo não recebeu nenhuma droga.

Depois desse tratamento inicial, todas as mulheres seguiram o tratamento tradicional para este tipo de câncer, incluindo cirurgia.

Resultados

Depois da cirurgia das pacientes que precisaram do procedimento, os pesquisadores analisaram o tecido que sobrou na região para ver se havia diferença entre os grupos. Eles mediram vários fatores, como marcação de células mortas e de crescimento de células, assim como o tamanho de qualquer tumor que tenha sido mantido.

Felizmente, o tecido de sete das 66 mulheres que receberam a combinação de medicamentes teve total resposta ao tratamento. Isso quer dizer que não havia mais tumor. Para outras 11 mulheres, a combinação de remédios fez com que o tumor diminuísse consideravelmente de tamanho (havia apenas traços microscópios da doença).

Outro fator empolgante é que mulheres que estavam no estágio 2 do câncer, aquele em que ele já se espalhou para os gânglios linfáticos, também tiveram ótima resposta.

Agora os pesquisadores querem identificar o que fez com que as sete mulheres tivessem sucesso completo no tratamento. Além disso, eles também querem descobrir se essas mulheres que não mostraram nenhum traço do tumor precisam fazer quimioterapia como o tratamento tradicional indica, ou se isso não é necessário. [Cancer Reserach UK, IFLScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!