Somos todos poeira de estrela: restos de supernova podem ser encontrados em bactérias pré-históricas

Por , em 18.04.2013

Um material que não se forma na Terra (isótopo Ferro-60) foi encontrado em 2004 no fundo do Oceano Pacífico e, de acordo com as análises da época, a fonte teria sido uma supernova ou, mais precisamente, seus restos que chegaram ao nosso planeta 2,2 milhões de anos atrás. Agora, um grupo de pesquisadores liderado pelo físico Shawn Bishop, da Universidade Tecnológica de Munique (Alemanha) investiga se é possível encontrar esse “metal extraterrestre” em fósseis.

Entre os candidatos estão fósseis de bactérias pré-históricas que absorvem ferro do ambiente para produzir minúsculos cristais magnéticos e, com eles, se orientar a partir do campo magnético da Terra.

A equipe adquiriu amostras de sedimentos do fundo daquela região do Pacífico que datam de 1,7 milhões a 3,3 milhões de anos atrás. Em seguida, dividiram o material em camadas correspondentes a intervalos de 100 mil anos e usaram processos químicos para extrair ferro unicamente de fontes biológicas – evitando pegar Ferro-60 que teria vindo de rochas continentais, por exemplo.

De acordo com análises preliminares, existem, sim, traços do “ferro extraterrestre”, que teria chegado ao planeta junto com destroços radioativos de uma estrela – não se sabe qual, mas acredita-se que ela fizesse parte dos conjuntos estelares de Escorpião e Centauro e estivesse a 424 anos-luz do sol.[Nature, Icarus]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Helio Sandro:

    O que eu não entendo, é de que são feitas as estrelas de gerações posteriores, se o hidrogênio é transformado em hélio? Alguém pode me responder?
    heliosandrocutrim@gmail.com

    • Victor Ferreira:

      Conjunto de ações da força gravitacional e de outros fatores, o hélio também sofre fusão nuclear pra elementos mais pesados, quando chega no ferro, a energia requisitada para a fusão é tão gigante, que a estrela entra em colapso.

  • WalterZ:

    Não entendi como eles sabem que o Ferro 60 que está nas bactérias teve origem no “ambiente” e não nas “rochas continentais”.
    Em outras palavras, o Ferro 60 que das “rochas continentais” não pode ser liberado no “ambiente” e absorvido por bactérias?

    • Gabriel Moreira:

      Alguns metais só são formados e processos de fusão nuclear (Nucleo de Estrelas)

Deixe seu comentário!