10 Mitos sobre o aquecimento global

Publicado em 9.04.2012

O clima do nosso planeta é muito dinâmico, como tudo na natureza. Mas a partir dessas mudanças, muitas pessoas criam mitos e questões. Como podemos realmente dizer que a Terra está aquecendo e os humanos são os culpados? Aqui você pode vai ver o que os cientistas sabem e o que não sabem sobre as mudanças climáticas.

10 – O clima mudou antes

O mito: Mesmo antes do efeito estufa e dos gases liberados por ações humanas, o clima da Terra já estava mudando, e por isso nós não somos responsáveis pelo aquecimento global atual.

A ciência: As mudanças climáticas passadas sugerem que o clima reage de acordo com a energia colocada e retirada, de maneira que se o planeta acumular mais calor do que libera, as temperaturas globais vão subir.

No momento, o CO2 está gerando um desequilíbrio energético que aumenta o efeito estufa. Mudanças climáticas antigas mostram evidências de que nosso clima é sensível ao gás carbônico.

9 – Mas está frio lá fora!

O mito: O planeta não pode estar esquentando, pois o último inverno foi um dos mais frios, como é possível o aquecimento global?

A ciência: Temperaturas locais, medidas de forma individual, não têm nada a ver com o aquecimento global de longo termo. As mudanças de estação locais podem esconder o movimento climático planetário.

Para encontrar tendências climáticas, é preciso analisar as mudanças de temperatura por um longo período de tempo.

8 – O clima está esfriando

O mito: O aquecimento global parou e a Terra está começando a esfriar.

A ciência: A última década, entre 2000 e 2009, foi a mais quente já registrada. Mas o aquecimento global é compatível com climas mais frios. Novamente, o que vale são os registros de longo termo. E nesse caso, infelizmente, a Terra está aquecendo.

7 – A culpa é do sol

O mito: Na última centena de anos, a atividade solar tem aumentando, gerando o aquecimento global.

A ciência: Nos últimos 35 anos de aquecimento global, o sol mostrou uma tendência de se resfriar, enquanto o clima tem esquentado. Para o último século, o sol pode sim explicar um pouco do aumento das temperaturas, mas apenas uma pequena parcela.

Um estudo publicado no ano passado mostrou que mesmo durante um período de baixa atividade solar, a Terra continuou a esquentar.

6 – Nem todos concordam

O mito: Não há consenso de que o planeta esteja realmente aquecendo.

A ciência: A maior parte dos cientistas climáticos concorda que o aquecimento global “humano” está acontecendo. Você pode ver essa tendência na diminuição das notícias sobre discussões a respeito disso. Não há mais argumentação.

5 – O dióxido de carbono (CO2) não é um poluente

O mito: “Os perigos do dióxido de carbono? Diga isso para uma planta, o quão perigoso é”.

A ciência: Apesar do gás ser realmente fundamental para a fotossíntese das plantas, ele é um poluente (por exemplo, na acidificação dos oceanos) e seriamente ligado ao efeito estufa. Quando o calor é liberado da superfície terrestre, parte da radiação fica presa por gases estuda, como o CO2. Esse efeito é que está aumentando as temperaturas globais.

4 – Cientistas estão conspirando

O mito: Milhares de e-mails entre cientistas climáticos vazaram em novembro de 2009, e revelaram dados encobertos que conflitavam com as pesquisas que afirmavam o aquecimento global.

A ciência: Sim, um hacker teve acesso e divulgou os e-mails e documentos. Mas não existe conspiração, já que diversas outras pesquisas foram feitas, não necessariamente envolvendo esses cientistas.

3 – Não se preocupe, não é tão ruim

O mito: Alguns apontam que há evidência histórica de que períodos mais quentes são bons para a humanidade, enquanto o frio é catastrófico.

A ciência: Os cientistas climáticos afirmam que os pontos positivos do aquecimento são esmagados pelos negativos, na agricultura, na saúde humana, na economia e no meio ambiente. Por exemplo, um estudo de 2007 mostra que um planeta mais quente aumentaria a propagação da vegetação na Groenlândia; mas isso também significaria mais escassez de água, mais e maiores queimadas e maior desertificação. Não parece muito bom.

2 – A Antártida está com mais gelo

O mito: O gelo que cobre a Antártida está expandindo, ao contrário da crença de que está derretendo devido ao aquecimento global.

A ciência: O argumento de que o gelo está expandindo na Antártida omite a diferença entre o gelo terrestre e o marítimo. “Se você estiver falando do lençol de gelo, nós esperamos ganho no interior do território, mas perda do gelo periférico”, afirma o cientista Michael Mann. Medições atuais mostram que a camada de gelo da Antártida está diminuindo, em saldo negativo, e contribuindo para o aumento do nível dos oceanos. No caso do gelo marítimo, as tendências variam muito, por isso é complicado chegar a um dado exato.

1 – Os modelos climáticos não são de confiança

O mito: Os modelos são repletos de pressupostos para que se encaixem nos dados coletados. Não há forma de saber se eles são de confiança.

A ciência: Modelos já conseguiram reproduzir com sucesso as temperaturas globais de 1900, na terra, no ar e nos oceanos. “Modelos são simplesmente uma formalização para que possamos entender melhor os processos que governam a atmosfera, os oceanos, etc”, afirma Mann. Ele adiciona que certos processos, como a maneira com a qual as nuvens respondem às mudanças atmosféricas, são incertos, e diferentes modelos já foram apresentados.

Mesmo assim, afirma Mann, certas previsões são baseadas na física e química fundamentais (como as feitas para o efeito estufa), o que resulta em previsões robustas, independentes dos pressupostos. [LiveScience]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

151 Comentários

    • Carta interessante (ciência não se faz por carta, mas… em campo).

      Eu ficaria mais tranquilo se fossem climatologistas ativos na área, com trabalhos científicos demonstrando que não há aquecimento global. Por que trabalhos demonstrando o aquecimento tem…

      Thumb up 9
    • Cesar, juro que não entendo sua relutância em exigir publicações de algo, que, se quer deu tempo de ser avaliado. Não tem artigos contrários, pq os climatologistas trabalham numa escala irreal. Logo, se a escala está errada os argumentos contrários já foram escritos desde antes da revolução industrial, porém tratando em escalas de tempo que o planeta realmente pode sentir. Não se pode fazer-se errado pra provar que outrem está errado. Se começo a estudar variações de carbono de 100 anos pra cá pra tentar entender o clima, já estou incorrendo em erro. Não Por isso os climatologistas parecem “Deuses” incontestáveis. Notou quantos geólogos assinaram a referida carta? Aposto que nunca leu algum dos clássicos papers sobre a variação do carbono ao longo da história da Terra. Sua unilateralidade, em acreditar apenas em cientistas, na grande maioria oportunista engajados e sem renome. Cientistas que ignoram as limitações de suas medições ditas “históricas”. Que cospem e manipulam dados, numa curva de variação totalmente tendenciosa. Cientistas que querem a todo custo ver as coisas acontecerem em SUA geração, e com isso surfarem na onda do momento. Imagens do Mont Blanc menos branco ou blocos de gelo flutuando, não são argumentos científicos. Assista “Era do Gelo” e depois me diga que indústria fez aquele gelo derreter. Olhe para o Plioceno (ontem, na minha escala “climatológica”) e diga que indústria jogou tanto CO2 naquela atmosfera, e depois me diga quem os retirou para reduzirem até os dias de hoje? O argumento de que o carbono antropogênico é diferente de todos os outros carbonos, é uma falácia; sem falar na prepotência de sempre nos sentirmos “O” diferencial da natureza. Estou aberto a entender o lado dos ambientalistas, mas desculpe… Os artigos científicos climatológicos parecem coisa de criança (literalmente, pois a teoria foi bolada de forma que qualquer criança assimile nos primeiros anos de colégio). A roupagem científica é de CLIMATOLOGIA, mas na realidade, está mais próximo da CIÊNCIA POLÍTICA.

      Thumb up 14
    • O problema dos climatologistas é que eles observam as mudanças num periodo muito curto e geologicamente irrelevante.Sem falar que reconstruções de paleotemperaturas demonstram que o planeta tem sido quase sempre muito mais quente e mais úmido do que sabemos que ela seja hoje, e com muito mais dióxido de carbono (o gás de efeito estufa) na atmosfera do que existe hoje. A exceção notável é 300 milhões anos atrás, durante o Período Carbonífero final, que lembra o nosso próprio clima e
      a atmosfera como nenhum outro.

      Thumb up 5
    • Rick, esta história da “Era do Gelo” é ridícula… Quem foi que disse que o derretimento da última era glacial foi causado por indústria? Quem disse que só fatores naturais podem influenciar no clima, e que a atividade humana não tem nenhuma influência? Quer dizer que se um aquecimento global foi causado por atividade bacteriana, então só atividade bacteriana causa aquecimento global? E por que houveram vários aquecimentos globais, tudo é cíclico? Assim, tem que aceitar esta conversa sem nem mesmo questionar, e ver se é mesmo cíclico, se não tem como surgir outra fonte de mudanças climáticas, se não tem como a atividade humana influenciar no clima?

      E tem mais, esta história de ver só os dados das últimas décadas é um espantalho. Paleoclimatologistas estudam as temperaturas do planeta indo até onde conseguem registros climáticos indiretos. Neste link aqui (http://www.skepticalscience.com/broken-hockey-stick.htm ) tem gráficos que mostram os últimos 5 séculos.

      Você contesta muitos trabalhos científicos só no ‘argumentum’, mas eu nunca vi nenhuma crítica séria ao trabalho deles. Repete os mesmos argumentos que os trabalhos foram mal-feitos, que é tudo vendido para interesses escusos, mas não apresenta CIÊNCIA.

      Se você estiver interessado em um dos trabalhos, aqui tem um:

      Proxy-based reconstructions of hemispheric and global surface temperature variations over the past two millennia

      Proceedings of the National Academy of Sciences
      Vol. 105, No. 36, pp. 13252-13257, September 9, 2008. doi:10.1073/pnas.0805721105

      Michael E. Mann1, Zhihua Zhang1, Malcolm K. Hughes2, Raymond S. Bradley3, Sonya K. Miller1, Scott Rutherford4, and Fenbiao Ni 2.

      1 Department of Meteorology and Earth and Environmental Systems Institute, Pennsylvania State University, University Park, PA 16802

      2 Laboratory of Tree-Ring Research, University of Arizona, Tucson, AZ 85721

      3 Department of Geosciences, University of Massachusetts, Amherst, MA 01003-9298

      4 Department of Environmental Science, Roger Williams University, Bristol, RI 02809

      Vai lá, eu não sou da área, não posso fazer mais nada do que me apegar à regra de bom-senso ensinada pelo Bertrand Russel.

      Thumb up 4
    • Existe muito mais interesse político nessa história de aquecimento global por emissão de gases do que bom senso… Um bom motivo para explicar esse mito é de que os EUA não estão nem fudendo pra qualquer acordo de redução de emissão de gases. pq? pq eles como sempre, estão a anos-luz na frente do resto do mundo e ja sabiam que essa história é papo furado… sempre eles estão na frente e nós apenas observamos… Estamos falando de UM PLANETA! e n é uma ”fumacinha” emitida por humanos que vai conseguir alterar o clima mundial… se nem os grandes vulcões conseguem fazer estrago na atmosfera quem dirá os seres humanos… agora com relação a nivel terrestre ai a coisa muda de figura.

      Thumb up 5
    • Olá pessoal!
      Gostaria de corrigir uma fala de um espectador, quando ele afirma na existência de um consenso científico a respeito do aquecimento global e, quando diz não existir trabalhos que provem o contrário. No mínimo, ele deveria, em escala nacional procurar conhecer os trabalhos de Luis Carlos Baldicero Molion. É ridículo o que as pessoas fazem, algumas delas, sair afirmando e desconsiderando as demais pesquisas. Brasileiro pesquisa e prova que não há evidência de aquecimento global… Agora, existe brasileiro que prova a existência de aquecimento global??? ou temos meros repetidores do Novo Imperialismo?? Cabe aqui cada um tirar suas conclusões. Agradeço e parabenizo pela matéria publicada por Bernanrdo, uma vez que quase nunca se faz isso no Brasil.

      Thumb up 1
    • É sério essa carta?

      Será que a NASA inventaria esses numeros??
      http://www.youtube.com/watch?v=OtY8DpA_XNE

      Será que o prêmio Nobel para Al Gore e sua equipe foi um erro???

      Ok, existem sim eventos naturais de magnitude destrutiva muito superior a qualquer um que o ser-humano seja capaz de produzir, mas usar isso como desculpa pra dizer que os dados estão errados e poder cagar no planeta???

      Queria escrever uma carta pra esses magníficos doutores que redigiram essa carta, perguntando, onde está o Outono, Inverno, Verão e Primavera?? Que aprendi na 3ª série com a professora de ciências e íamos até o pátio da escola pra ver os efeitos da estação nas plantas, e lá estavam como descritos nos livros!!!
      As migrações do mundo animal estão completamente as avessas!! A geleira da Patagônia deverá deixar de existir em menos de 20 anos! Não é motivo pra alarde?

      Putz se essa carta foi escrita para a Dilma é por que essa crise global provavelmente também será considerada uma marolinha!!! Arf!

      Thumb up 2
    • Falcone, o Nobel em sí já é um erro. Nobel não é parâmetro de credibilidade científica. Com relação ao Prêmio criado pelo inventor da dinamite, é necessário fazer algumas ressalvas. De onde vêm esse status de autoridade a premiação que agraciou ninguém menos que o Presidente Barack Hussein Obama II, com o Nobel da Paz? No mínimo uns fanfarrões, não? É um prêmio meramente político. Vejamos alguns dos felizardos: Antonio Egas Moniz (inventor da lobotomia), William Shockley (acreditava que os negros eram menos inteligentes que os brancos), James Watson (defendeu que o Sol é um potente afrodisíaco), Fritz Haber (inventor da bomba de hidrogênio, que acreditava ser possível retirar grandes quantidades de ouro do fundo do mar) etc, etc… E o que diriam sobre a importância da premiação Jean Paul Sartre e Le Duc Tho, que recusaram-se a receber a condecoração? Não precisa ir muito longe. No mesmo Hypescience, há uma matéria sobre o tema: http://hypescience.com/as-5-maiores-falhas-do-premio-nobel/

      Thumb up 1
    • Por outro lado, o prêmio Nobel foi muito bem dado a personalidades como Einstein e Pierre e Marie Curie. De qualquer forma, esta argumentação está falha. A tal carta foi feita baseando-se em premissas falhas, e na vã ideia de que um abaixo-assinado substitui a ciência (como no caso dos “cientistas que discordam de Darwin”).

      Thumb up 1
  1. César, acho que você não soube interpretar o meu comentário, obviamente o homem não aquece o planeta… As suas ações relacionadas com a emissão de gases é que fazem esse papel. São ações indiretas que acarretam esse aumento de temperatura. quem aquece o planeta é o sol isso é óbvio… Mesmo assim eu não atenho por esse lado de que as emissões de gazes por humanos está fazendo o planeta se aquecer… Não nego que esteja realmente aquecendo mas não que seja pela ação humana… é bem legal compararmos uma grande erupção vulcânica que aconteceu alguns anos atrás na Argentina em que a fumaça e fuligem expelidos pelo vulcão conseguiu chegar até a região sul do Brasil. Esse material expelido fez com que as regiões mais próximas e de médias distâncias tivessem seus climas alterados mas apenas por alguns dias, mesmo a erupção sendo gigantesca… é por isso e outros fatores que eu acho que a poluição por gases pode sim alterar o clima, mas apenas localmente em pequenas regiões e não a nível mundial… esse é um dos poucos assuntos em que eu me coloco contra sobre o que a maioria da comunidade científica afirma… Simplesmente não me desce!

    Thumb up 3
    • Juninho, não precisa acreditar. Tem alguns trabalhos que tratam da sensibilidade da temperatura global com a quantidade relativa de CO2 atmosférica. Você pode analisar estes trabalhos e refazê-los.

      Existem também as estações de monitoramento de CO2, e os métodos de medição da quantidade de CO2 em gelo antártico e outros métodos. É só buscar estes trabalhos, analisar, e verificar onde está o erro (ou acerto), e tentar repetir os mesmos.

      Não precisa acreditar em nada. Pode ir lá e verificar por ti mesmo.

      Thumb up 3
  2. César, acho que você não soube interpretar o meu comentário, obviamente o homem não aquece o planeta… As suas ações relacionadas com a emissão de gases fazem esse papel. São ações indiretas que acarretam esse aumento de temperatura. q

    Thumb up 1
  3. Dizer que “a opinião contrária ao aquecimento global é baseada apenas em boatos e paranoia, e nenhum dado, nenhum trabalho científico” é um maiores absurdos que já ouvi. Existem sim muitos trabalhos científicos que provam que o aquecimento global não é consequência da emissão de CO2 pelo ser humano. Existem muitos cientistas renomados e estudos sistemático que provam que a mentira do aquecimento global (baseada em estudos provadamente incorretos) ainda é mantida porque transformou-se numa máquina de milhões de dólares, na qual estão inseridos Al Gore e um monte de “cientistas” que não tem coragem de encarar que estava equivocados. Quem quiser achar informações e provas pode pesquisar na internet e achar milhares de informações. Até o doutor em climatologia da USP Felício, especialista em clima, afirma que tudo não passa de uma “balela” criada para fins políticos e econômicos… Está na hora de acordar e parar de acreditar nas mentiras globais alimentadas por interesses obscuros. Acorda Brasil!

    Thumb up 7
    • É consenso científico, Jorge. Não há trabalhos científicos demonstrando que não há aquecimento global ou que ele não é causado pelo aumento do CO2, resultado da atividade do homem.

      Mas se você tiver algum trabalho científico demonstrando o contrário… O prof. Molion não tem. O professor da USP, não lembro o nome, não tem. Eles estão só ganhando os tubos para falar o que as pessoas querem ouvir. Quem é que precisa acordar?

      Thumb up 2
    • Grossmann, esse consenso científico do qual o senhor fala é o consenso de um grupo que aderiu a essa ideia furada quando ainda não tinha sido provado o contrário e que ainda hoje teimam em seguir defendendo essa tese por medo ao ridículo, por falta de humildade ou por, simplesmente, ter o rabo preso com o sistema. O nome do professor da USP que o senhor não lembra é Ricardo Augusto Felício. Se ele especificamente tem algum trabalho ou não, eu não posso lhe dizer, mas, contrariamente ao que o senhor afirma, há trabalhos científicos sim, que provam que a teoria do aquecimento global produzido por interferência do homem na atmosfera está equivocada, pois está baseada em trabalhos científicos incorretos. Agora, se o senhor insiste em dizer o contrário, então prove qual é o trabalho científico, que ainda não foi desmascarado, que existe para provar o que o senhor está afirmando. Quem quiser saber a verdade não necessita ouvir a minha ou a sua opinião, com todo respeito, precisa apenas pesquisar e descobrir por si só que estão nos fazendo de idiotas ao divulgar um absurdo que não tem sustentação científica alguma. Um absurdo que apenas se sustenta no interesse oculto de determinados grupos que não estão nem aí para o fato enganar às pessoas enquanto for beneficioso para os interesses deles. Eu tenho vasto material sobre o assunto e com todos os detalhes de diversos estudos científicos que provam o que estou dizendo. Obviamente é inviável publicar esse material nestes comentários. A maior parte desses matériais podem ser achados na internet se a pessoa realmente pesquisar o assunto. Dizer que esses estudos não existem é fechar os olhos para a realidade. Desculpe…

      Thumb up 3
    • Não, Jorge Martinez. Consenso científico significa que não há trabalhos científicos negando o aquecimento global ou sua origem antropogênica. Se você quer algum artigo científico, veja este aqui (Oreskes 2004), que examinou trabalhos publicados entre 1993 e 2003, de climatologistas ativos no campo.

      Os trabalhos que eu me baseio estão citados em outros posts. Tem trabalhos científicos publicados por cientistas de todo o mundo: Europa, Ásia, e Américas. Basicamente são trabalhos apontando para o aumento da quantidade de CO2 na atmosfera desde o início do século passado, da sensibilidade da temperatura global ao CO2, da origem deste CO2, do aumento de temperatura das últimas décadas, das outras possíveis causas para o aquecimento global.

      E se você quer falar em interesses econômicos, o dr. Felício foi aplaudido de pé por ruralistas e pecuaristas, em uma palestra que ele foi bem pago para proferir as inverdades anti-científicas dos negadores da ciência, mesmo nunca tendo publicado um único trabalho científico sobre aquecimento global. Ele é climatologista, especializado na Antártida, poderia fazer trabalho científico demonstrando que não há aquecimento global, ou que ele não é tão sério como estão afirmando, ou que não é causado pelo homem. Mas não faz, ele faz palestras, e ganha muito dinheiro dizendo o que o público dele quer ouvir.

      Thumb up 2
  4. Na boa, não consigo assimilar de que o ser humano é capaz realmente de interferir no clima mundial… é importante lembrar que estamos falando de aumento da temperatura a nível mundial e não a nível local, ou seja pra mim o ser humano não tem capacidade de interferir no clima global apenas emitindo gases CO2, Metano ou similares… ESTAMOS FALANDO DE UM PLANETA! e eu acredito q a ínfima atividade humana na emissão de gazes nada interfira nesse aumento de temperatura. O que não nega de que o planeta possa estar realmente esquentando mas por outros fatores por exemplo o Sol… é Lógico que a atividade humana em terra pode acarretar danos catastróficos como a poluição, mas a nível de atmosfera acho que o ser humano não tem a a capacidade de interfir em nada… enfim é o que eu acho…

    Thumb up 4
    • Juninho, o homem não está aquecendo. O que o homem está fazendo é aumentar em algumas partes por milhão a quantidade de CO2 na atmosfera. É bem pouca coisa por ano, mas está se acumulando já faz uns 40 anos, ou mais.

      Com isto a energia térmica capturada pela atmosfera está aumentando, e o resultado é um acréscimo de poucos décimos de graus por ano. É tudo quantia pequena, mas está acontecendo.

      Thumb up 3
  5. Prezados,
    vivencio diariamente as diversas alterações climáticas no registro geológico. Permitam-me argumentar com algumas convicções que adquiri ao longo do tempo:
    - Boa parte dos processos que ocorrem em nosso planeta é cíclico;A variação do nível do mar é cíclica; O registro sedimentar é cíclico; As variações climáticas são cíclicas…
    - Esses ciclos são divididos em diversas ordens de frequência inter-relacionadas. Uma representação gráfica ideal, seria um
    senóide dentro de outro senoide com menor frequencia, dentro de um senóide com menor frequência, dentro de outro senóide de outra grandeza de frequência…Ou seja, variações muito maiores, mais rápidas e portanto mais devastadoras, já acontecerram por diversas vezes, desde q a Terra é Terra (desde o Proterozóico, pelo menos). E isso é perfeitamente normal, nenhum ser vivo teve participação nesse processo global.Assim como na vida, uma hora está quente, outra hora frio. E que assim continue, do contrário as coisas por aqui ficariam bem difíceis.
    - O ciclo que vivenciamos em “nossa geração” (diz-se a partir da revolução industrial) é um ciclo de menor grandeza, miseravelmente comum, e mais repetido que a “Sessão da Tarde”.

    Outro ponto é o inegável interesse econômico na divulgação dessas catástrofes:
    - O CFC virou HCFC (por conta do ozônio), que vai virar HC (pois… op’s descobriu-se que o HCFC causa efeito estufa, e incrívelmente os hidrocarbonetos não causarão)… Já imaginou quanto se ganha em cada troca de um modelo industrial para outro novo em folha?
    Não vou nem falar na megalomania de que somos capazes de literalmente mudar o mundo, na tentativa de imbecilizar a populãção fando crer que os falsos e-mails é um detalhe, nas ONGs, nos puns das ovelhas, na falácia prática dos créditos de carbono, nos governos pedindo que países subdesenvolvidos parem de crescer e consumir pois o planeta, oh meu Deus!, não aguentará…
    Esqueçam um pouco a mídia e tentem ver com os próprios olhos. talvez para mim seja mais fácil pois me depare com a verdade, cada vez que olho para uma rocha.
    Em tempo… Achei bem divertida a discussão nos comments.

    Thumb up 4
    • Rick, se você estudou os ciclos de aquecimento e resfriamento do planeta, deve ter percebido que eles não acontecem do nada. Para ocorrer aquecimento, a energia térmica acumulada na atmosfera ou nos oceanos ou nas placas continentais tem que crescer, e isto não acontece por mágica, sempre tem um fator.

      Em outras épocas foi o Sol, ou um acúmulo de gases estufa, e por aí vai.

      O aquecimento global que estamos experimentando é causado pelo acúmulo de gases estufa, mais especificamente o CO2, na atmosfera. Este acúmulo está acontecendo por conta da atividade humana.

      A natureza com certeza coloca e retira muito mais CO2 da atmosfera que a atividade humana, mas é um ciclo em equilíbrio, ela retira o que coloca, o que manteria o nível de CO2 na atmosfera. O CO2 da atividade humana não é retirado por nenhum outro processo, então ele vai se acumulando.

      Então:

      1. estamos experimentando aquecimento global
      2. o aquecimento global atual é causado pelo efeito estufa
      3. quem está causando o efeito estufa é o CO2 antropogênico

      Isto é consenso científico, é resultado de trabalhos publicados em periódicos revisados por pares. A opinião contrária é baseada apenas em boatos e paranoia, e nenhum dado, nenhum trabalho científico.

      Thumb up 7
    • César,
      Achei de bom tua mensagem, apesar de ter me chamado de paranoico e divulgador de boatos. Adjetivos que se enquadrariam melhor aos seguidores de cientistas que manipulam e sincronizam dados via e-mail, visando um único e evidente motivo: business.
      Vamos aos contrapontos:
      -Vacila quando diz que o CO2 antropogênico não é retirado por nenhum outro processo. Sugiro ler um pouco sobre o “ciclo do carbono” e verás que o carbono que hora está agregado ao oxigênio para formar o CO2, já foi combustível fóssil, já fez parte de um ser vivo, pode ter composto uma infinidade de minerais… Enfim. Leia sobre o ciclo.
      - Só para citar um exemplo mais próximo a nossos dias, No Plioceno (quase um piscar de olhos no período da Terra), tivemos níveis de CO2 bem maiores que os atuais, e o Planeta estava cerca de 2 graus Celsius acima dos atuais. Nessa época não metrópoles e revolução industrial. Ou seja, é preciso muita fé para acreditar no AlGore e nos cientistas de Greenpeace.
      Ressalto que não sou cego quanto as transformações antropogênicas e as diversas formas de devastação e poluição que causamos, inclusive do ar (nada que já não tenha ocorrido anteriormente na Terra e sem a influência humana), e que realmente precisamos mudar nossos hábitos. Mas é preciso separar alhos de bugalhos.
      Abraço!

      Thumb up 1
    • Rick, o CO2 resultado de processos antropogênicos está acumulando. As estimativas dos cientistas para a geração e absorção de CO2 no ciclo do carbono é a seguinte (sim, eu sei o que é o ciclo do carbono, só não acho que ele seja ilimitado e capaz de absorver quantias infinitas de CO2):

      Emissão de vegetação e terras: 439 gigatoneladas
      Absorção de vegetação e terras: 450 gigatoneladas
      Emissão dos oceanos: 332 gigatoneladas
      Absorção dos oceanos: 338 gigatoneladas
      Emissão de atividades humanas: 29 gigatoneladas

      Balanço: 439 – 450 + 332 – 338 + 29 = superávit de CO2 de 12 gigatoneladas por ano.

      Thumb up 3
    • Interessante os dados que vc expõe, César. Mereceu até meu “joinha”. Apesar de não ter como checar a veracidade (ando meio descrente, após a manipulação de massas por parte de alguns cientistas), gostaria de saber a fonte de seus dados.
      Com relação ao ciclo,é exatamente por ser um ciclo, que não pode ser quebrado. Esse mesmo ciclo já absorveu quantidades estupdamente maiores na história de nosso Planeta. Se queimamos petróleo, não estamos desequilibrando este ciclo, pois o carbono contido no mesmo, é parte do ciclo. Bastaria uma erupção vulcânica de boa magnitude para elevar ppms de carbono a estratosfera (Não podia perder o trocadilho, rs!), para todos esquecerem a contribuição humana. Receio não ter sido muito claro…
      A grande questão é: Seríamos capazes de alterar a velocidade deste cíclo?
      Por hora, só poderia contribuir p/a discussão, recomendando alguns papers científicos que abordam a variação do carbono e seus isótopos no registro geológico. Não sei se viria a calhar, pois trabalho numa escala de tempo diferente da postulada pelo aquecimento global.

      Thumb up 2
    • Rick, no link que eu coloquei sobre o ciclo do carbono você encontra uma discussão extensa de todos os argumentos contra o aquecimento global, e quais os trabalhos científicos na área, e qual a conclusão que se chegou sobre o assunto.

      No caso do que fazer, não lembro onde eu vi que os cientistas não estão querendo fazer algo para modificar ativamente a quantidade de CO2 na atmosfera, mas lidar com as consequências. O motivo é simples: para fazer reengenharia planetária, é preciso ter mais conhecimento dos ciclos climáticos.

      Um exemplo, um estudo sugeria que as algas apresentam um crescimento quando há mais ferro dissolvido na água. A ideia seria então semear os oceanos com ferro, isto causaria o crescimento de algas, que capturariam CO2 e depois afundariam. Um teste foi feito e nada aconteceu, mas mesmo assim um cara resolveu fazer a mesma coisa, por conta própria. Só que o resultado foi outro…

      Veja os artigos desta pesquisa no Google.

      Thumb up 0
  6. Todos os dias a mídia nos bombardeia com informações que não temos como verificar de fato e, cabe a nós, simples mortais, acreditar ou não. O mesmo acontece com o suposto aquecimento “global”. Abaixo estão alguns links no youtube que contradizem, de uma maneira muito bem argumentada, a ideia do aquecimento global. Que cada um tire a conclusão que quiser:
    http://www.youtube.com/watch?v=SxgKjg-s4HA http://www.youtube.com/watch?v=WQrEFj56Xfw&feature=related
    http://www.youtube.com/watch?v=pjFc2EwXzZo&feature=related

    Thumb up 8
  7. Antes de tecer meu comentário deixem-me lembrar-lhes que teorias não passam de teorias; nada
    tendo sido provado… portanto, embora não possuindo cátedra para que uma teoria minha fosse reconhecida publicamente, esta seria tão válida como outra qualquer… e minha teoria diverge de todas de que eu tenha tido notícias até agora: Embora não sendo seguidor de ninguém, identifico-me muito com Carl Sagan, por meu cetismo nato e sou dado a examinar minhas próprias idéias antes de considerar seriamente opiniões alheias. Ex.: Não acredito que a crosta terrestre esteja deslocando-se anormalmente devido ao derretimento das camadas de gelo sobre este ou aquele lugar, mas, antes, justamente o contrário… ou seja: Devido à deriva irregular da crosta sólida do planeta sobre seu núcleo líquido/pastoso e ao atrito entre eles, é que temos um aquecimento extra, que denominamos hoje de aquecimento global, que faz com que as camadas de gelo comecem a derreter. Seria muito mais aconselhável para toda a humanidade, que os doutores olhassem um pouco para o espaço exterior e procurassem uma razão para o que acontece, ao invés de fazerem afirmações absurdas como a de que o ser humano é o responsável e causador do aquecimento global que vem aumentando sempre e aceleradamente. Pode muito bem ser que, como no passado, quando ainda não existíamos, alguma força provinda do espaço exterior, que causou tal força de maré sobre o nosso mundo, que fez com que êle estufasse de um dos lados… talvez em uma erupção vulcânica que teria dado origem à nossa Lua e ao continente original que teria dado origem a todos os continentes quando começasse a se fragmentar, sendo novamente atraído de volta pela gravidade do planeta, logo que êle estivesse livre da influência do que quer que por êle tenha passado, tal possa ocorrer… em menor ou maior proporção. O fato é que não podemos ter certeza disso, pois nada conhecemos do espaço exterior que não esteja no campo das teorias: O Big Bang, por exemplo, é uma teoria aceita… por mais esfarrapada que possa ser; os buracos negros, por sua vez, me fazem ter vontade de enfiar a cara em um buraco, salvo quando penso que talvez, contrariando a afirmação de Einstein: de que nada poderia deslocar-se em nosso universo com velocidade superior à da luz, alguns astrônomos afirmam que o universo expande-se aceleradamente e que as galáxias para além do universo observável afastam-se a velocidades tão grandes que nem mesmo sua luz consegue alcançar-nos, e então eu penso: “Se tal fosse possível, isto destruiria tudo em derredor, pois a imensurável massa de uma galáxia multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz arrastaria consigo tudo ao seu alcance e, ao longe, em determinada posição relativa á rota pela qual ela teria seguido, tudo o que veríamos seria um buraco negro… mas, isto é uma teoria mais absurda ainda que a de uma estrela absorvendo massas muitas vezes maiores que a dela própria em uma singularidade.” Mas, há ainda muito que não pode ser explicado: como a matéria escura do universo… Bem, isto é apenas um comentário, mas, continuo discordando da opinião dos cientistas sobre o assunto inicial dessa conversa. David.

    Thumb up 6
    • Antes de tecer meu comentário deixem-me lembrar-lhes que teorias não passam de teorias; nada tendo sido provado…

      Já começou mal. Primeiro, que “prova”, rigorosamente falando, só existe em matemática. Quando se fala em provas ou em provado na ciência, está-se falando que algo foi evidenciado, ou seja, tem evidências.

      Segundo, que teorias não passam de teorias, e todo o conhecimento humano é composto apenas de teorias. Teorias nunca viram leis. Mas teorias só são chamadas de teorias quando elas explicam algum fenômeno, podem ser usadas para fazer previsões que podem ser comprovadas em laboratório ou em observações. Além disso, teorias tem dentro de si leis e hipóteses testáveis. Algumas teorias tem tantas evidências e evidências tão fortes a seu favor, que ninguém de sã consciência espera que sejam erradas. A Teoria da Evolução, por exemplo, é uma delas. Outra teoria é a do Big Bang. A Teoria da Relatividade. Todas estas teorias que você diz serem nada…

      Agora, fala sério, quando é que você estudou alguma coisa sobre as teorias científicas para ficar falando estas bobagens aí? Eu não sei muita coisa, mas do alto da minha ignorância posso asseverar com tranquilidade e sem medo de errar: você sabe muito menos. E, no entanto, você tem tanta certeza do que você pensa que sabe…

      Vivemos tempos estranhos, os sábios estão cheios de dúvidas, e os néscios tem certeza de tudo…

      Thumb up 21
    • Cesar,
      Você encerrou o comentário com uma frase excelente: “……os sábios estão cheios de dúvidas, e os néscios tem certeza de tudo….”. Só falta você nos relacionar quais são esses sábios que estão cheios de dúvidas, porque os néscios que tem certeza de tudo eu já conheço alguns.

      Thumb up 11
    • Então você supõe que todos são sábios ou todos são néscios, e que não adianta estudar, trabalhar ou coisa assim, que ninguém vai se destacar com conhecimento e sabedoria? Eu acho que não. Acho que se você se dedica a conhecer algo, e de fato vem a conhecer este algo com mais profundidade que o resto que só passa ao largo, você é mais sábio que a grande massa ignara que acha que sabe mais que você só por que não querem ter que lidar com um sentimento de inferioridade.

      Especialistas são especialistas, quer você goste ou não, eles sabem mais que tu. Eles podem não estar 100% do tempo certos, mas os erros que eles cometem estão além da tua capacidade de compreensão do assunto.

      Thumb up 4
    • Do significado da palavra sábio:

      sábio
      sá.bio
      adj (lat sapidu) 1 Diz-se do que sabe muito, do que tem vastos e profundos conhecimentos sobre qualquer assunto científico, literário ou artístico; erudito. 2 Que tem a faculdade de bem julgar. 3 Avisado, judicioso, prudente. 4 fam Diz-se do animal adestrado em certos exercícios. sup abs sint: sapientíssimo. sm 1 Homem de muita ciência ou sabedoria; filósofo. 2 Homem prudente, avisado. aum pej: sabichão.

      Por que, você acha que estudar muito uma coisa faz com que alguém se torne um néscio?

      Existe muito preconceito contra a ciência e os cientistas, as pessoas acreditam muito nas caricaturas de cientistas que aparecem na mídia, principalmente em filmes de terror e outros. Nestes filmes os cientistas e especialistas são retratados como criaturas desumanas, insensíveis, e até mesmo burras.

      Você é do tipo que acredita na caricatura criada pela mídia?

      Thumb up 2
    • Cesar Groismann

      Vc deu uma “versão” bastante incompleta da palavra sábio, pois um verdadeiro sábio (aquele que saboreia) sabe ser, antes de tudo, um bom “malandro” http://pt.wikipedia.org/wiki/Malandragem

      Especialistas se parecem bem mais com Lord Kelvin (que escreveu muita bobagem em Ciência) do que com Einstein (que escreveu: “…O segredo da criatividade é saber como esconder as fontes…”).

      Além do mais, Thomas Alva Edison, Henry Ford e John Davison Rockefeller não eram cientístas especialistas, mas eram “leigos” que erigiram fortunas com a genial sabedoria de vida que possuiam!

      Thumb up 1
    • “os sábios estão cheios de dúvidas, e os néscios tem certeza de tudo…”

      Fantástico!

      Thumb up 4
    • Marcelo, a frase não é minha. Não consegui descobrir quem é o autor. Alguns dizem que é um desenvolvimento das ideias de Sócrates, aquele que só sabia que não sabia de nada.

      O mais perto que cheguei de uma frase com autoria é:

      ‘True wisdom is less presuming than folly. The wise man doubts often, and changes his mind; the fool is obstinate, and doubts not; he knows all things but his own ignorance.’
      — Akhenaton (o Faraó Akinaton)

      Se for mesmo do faraó, então pode ser que o Sócrates tenha feito plágio, mesmo involuntário…

      Sempre lembro desta frase quando vejo gente que não estudou nada sobre qualquer assunto importante, mas tem certeza que quem estudou está errado.

      Mas tem um comportamento que eu ainda não consegui entender, é o de quem, encontrando um consenso, procura um sujeito que não concorda e usa esta voz discordante como prova que todo o resto está errado. Complexo de Galileu Galilei?

      Thumb up 10
    • Acho que me lembrou “As convicções são inimigas da verdade mais perigosas do que as mentiras” de Nietzsche.

      Thumb up 3
    • Cesar,
      “Sempre lembro desta frase quando vejo gente que não estudou nada sobre qualquer assunto importante, mas tem certeza que quem estudou está errado.”
      Sabedoria é inata e independe de estudo. Akhenaton ou Sócrates não frequentaram faculdades, não fizeram mestrado ou doutorado. Os néscios é que precisam estudar.

      Thumb up 7
    • Rapaz… você mordeu a língua hein!! :(

      Thumb up 3
  8. Hummmmm,se Galileu,Copérnico e tantos outros não contestassem ou argumentassem,ou discordassem das teorias centradas e doutrinadas do arcáico clérico por essas horas a manada seria muito maior.

    Thumb up 3
  9. Bovidino,voce disse assim em uma réplica;

    Preconceito seguido de ironia é uma dupla

    Penso que seja,pelica de luva bem usada é para uso diversificado.

    Mas da maneira dita foi muito bem aplicada.

    Thumb up 3
  10. A discussão sobre “mitos” me parece que está descambando para o ridículo, com acusações mútuas de preconceito e ironias. O ridículo da discussão também é o fato que o título é uma tradução literal do título em inglês, então o uso da palavra “mito” aqui refere-se à concepção anglofônica da palavra, e não ao significado em português da mesma. E entre os anglofôncios é comum tratar de erros que são tidos como verdades como sendo “mitos”.

    O dicionário de Cambridge para o inglês americano tem, na sua segunda definição de mito:

    http://dictionary.cambridge.org/dictionary/american-english/myth?q=myth

    A myth is also a commonly believed but false idea:
    [C] Equal opportunity continues to be a myth for many.

    Traduzindo, “um mito é também uma ideia que as pessoas acreditam mas que é falsa”. E é neste sentido que a palavra mito é utilizada no texto original.

    O dicionário de Oxford também tem uma concepção na mesma linha, só que mais extensa:

    http://oxforddictionaries.com/definition/myth?region=us&q=myth

    2. a widely held but false belief or idea:
    he wants to dispel the myth that sea kayaking is too risky or too strenuous
    there is a popular myth that corporations are big people with lots of money

    2.1 a misrepresentation of the truth:
    attacking the party’s irresponsible myths about privatization

    2.2 a fictitious or imaginary person or thing.

    2.3 an exaggerated or idealized conception of a person or thing:
    the book is a scholarly study of the Churchill myth

    Thumb up 6
    • Cesar,
      Essa diferença semântica, não tem nada a ver com o que discutiamos sobre o preconceito utilizado no Michaelis, utilizando a palavra ‘ingênuo’. Entretanto, agradeço o link que você postou que me levou a outro tema mais útil:
      http://www.robertlanzabiocentrism.com/does-death-exist/

      Thumb up 4
    • Oh! Duas citações… brincadeira hem
      Quem quiser discutir depois de tantas citações confiáveis daí é só pra ser “do contra” mesmo! Se tem alguém que sabe mais do que o resto da humanidade com certeza é um mito que vai acabar virando lenda!

      Thumb up 4
    • Mas a nova onda agora é questionar qualquer coisa que esteja estabelecida. Quanto mais provas se tem de alguma coisa, mais duvidosa ela se torna para esta gente. É a inversão total de valores, uma coisa se torna mais confiável quanto mais dúbia ela for, e se ela vier acompanhada de prova nenhuma, então se torna verdade incontestável.

      É a lógica absurda da Nova Era…

      Thumb up 7
    • Cesar,
      “coisa que esteja estabelecida.”???????
      Isso é um princípio científico? Quais são as coisas que estão ‘estabelecidas’?

      Thumb up 2
    • Bovidino, estabelecido como consenso científico. O que está estabelecido como consenso científico:

      1. os elementos químicos são compostos de átomos – teoria atômica

      2. os tecidos vivos são compostos de células – teoria celular

      3. os corpos materiais atraem uns aos outros – teoria gravitacional

      4. a massa distorce o tempo-espaço, objetos com velocidade próxima à da luz experimentam uma dilatação do tempo e uma contração do espaço, um referencial acelerado não se distingue de um referencial em um campo gravitacional de aceleração equivalente, etc. – teoria da relatividade

      5. a energia é trocada em unidades, ou quantas – teoria quântica

      6. cargas elétricas em movimento geram campos magnéticos, cargas elétricas em movimento em campos magnéticos sofrem a ação de forças, condutores se movendo em campos magnéticos experimentam o surgimento de correntes induzidas, cargas elétricas de mesmo nome se repelem, cargas elétricas de nomes opostos se atraem, etc. – teoria do eletromagnetismo

      7. O momento mais remoto no passado da história do Universo aconteceu há 13,72 bilhões de anos, quando o Universo era extremamente denso e quente, e sofreu uma expansão e resfriamento súbidos, que prosseguem até hoje – teoria do Big Bang

      8. O pool genético de uma espécie modifica-se com o tempo devido a fenômenos de mutação, hereditariedade, seleção natural, deriva genética. Todos os seres vivos possuem um ancestral comum. Teoria da Evolução

      Existem outras teorias que são estabelecidas como consenso entre os especialistas na área. As evidências a favor delas são enormes, mas se surgir alguma evidência de que elas estão erradas, elas serão modificadas ou abandonadas.

      Pensei que você soubesse disso…

      Thumb up 6
    • Cesar,
      Novamente seus joguinhos de palavras. Coisas estabelecidas é uma coisa e estabelecido como consenso científico é outra. Além do mais, você sabe muito bem que só há consenso nos itens de 1 a 6 e sobre os quais não existem polêmicas neste blob e portanto ninguém os questiona. Os itens 7 e 8 são polêmicos até porque não existe esse consenso que você apregoa, a não ser pra você mesmo.

      Thumb up 4
    • Bovidino, não é joguinho de palavras, é você que está de má vontade. É a pessoa com mais má vontade em relação à minha pessoa de toda a Internet. Tudo que eu digo é interpretado da pior forma possível, tudo que eu acerto é ignorado completamente, e o que eu erro é anunciado como a prova que eu sou um aborto ambulante. Desde o início que estamos falando sobre ciência.

      Além do mais, tanto o Big Bang quanto a Evolução também estão estabelecidas como consenso científico. VOCÊ pode não aceitar isto, mas é inegável que se trata de consenso científico: não existe nenhuma outra teoria científica “concorrendo” com a Teoria do Big Bang ou com a Teoria da Evolução.

      A polêmica que existe é artificial, e não vem de dentro da Academia, mas de setores da sociedade que estão comprometidos com visões mitológicas da origem do Universo e da origem da Vida. Veja o caso do “Discovery Institute”, que tenta vender a ideia que a Evolução não é um consenso científico e que existem dúvidas quanto à mesma: é mentira, propaganda.

      De qualquer forma, você pode perguntar para alguém do meio e ver se existe consenso ou não. Ou então pode procurar em revistas especializadas em indexar artigos científicos, e ver quais as teorias alternativas à Evolução e ao Big Bang que estão em voga – não tem.

      Thumb up 8
    • Cesar,
      Nunca vamos estabelecer um consenso. Mas não se irrite!!!!!!
      Fique com suas crenças que eu fico com as minhas. Esteja bem. Sem stress.

      Thumb up 4
    • A Teoria da Evolução é consenso?

      http://talkorigins.org/faqs/comdesc/default.html#alternate_explanations

      Are There Other Scientifically Valid Explanations?
      The worldwide scientific research community from over the past 150 years has discovered that no known hypothesis other than universal common descent can account scientifically for the unity, diversity, and patterns of terrestrial life. This hypothesis has been verified and corroborated so extensively that it is currently accepted as fact by the overwhelming majority of professional researchers in the biological and geological sciences (AAAS 1990; AAAS 2006; GSA 2009; NAS 2005; NCSE 2012; Working Group 2001). No alternate explanations compete scientifically with common descent, primarily for four main reasons: (1) so many of the predictions of common descent have been confirmed from independent areas of science, (2) no significant contradictory evidence has yet been found, (3) competing possibilities have been contradicted by enormous amounts of scientific data, and (4) many other explanations are untestable, though they may be trivially consistent with biological data.

      When evaluating the scientific evidence provided in the following pages, please consider alternate explanations. Most importantly, for each piece of evidence, critically consider what potential observations, if found, would be incompatible with a given alternate explanation. If none exist, that alternate explanation is not scientific. As explained above, a hypothesis that is simply compatible with certain empirical observations cannot use those observations as supporting scientific evidence.

      Resumindo, as evidências acumuladas nos últimos 150 anos a favor da descendência comum pela evolução são tão extensivas que a maioria dos profissionais na área tem a Evolução como um fato.

      Thumb up 9
  11. O grande problema sobre as pesquisas sobre o aquecimento global é que ele já virou um dógma incontestável e qualquer cientista com uma visão diferente é ostracionado e mesmo ostilizado no meio; é como dizer que a Terra era redonda durante o período medieval. Sem falar que conseguir verba para pesquisa que conteste o “establishment” do aquecimento global é quase impossível. Não se compreende totalmente, por exemplo, o papel dos raios cósmicos na formação de nuvens de chuva, o papel dos oceanos profundos no ciclo climático, etc.. Basta dizer que uma simples previsão do tempo para mais que cinco dias é mais um chute que uma ciência concreta. O fato é que o planeta está aquecendo e que o homem, provavelmente, está contribuindo para isso, mas até que ponto? Eis a questão.

    Thumb up 6
    • Meteorologia e climatologia são coisas diferentes. Você pode não prever se vai chover em cinco dias, mas pode prever uma alta nas temperaturas médias para períodos de anos adiante, uma vez que os modelos de predição neste sentido são bastante precisos.

      Outra coisa, não existe isto de ostracizar cientistas que contrariem, o que existe é que há trabalhos demonstrando que o aquecimento global é causado pela atividade humana, e há opiniões de que não é. Onde estão os trabalhos demonstrando que a atividade humana não é responsável pelo aquecimento global? Financiamento não falta, a indústria petrolífera e as indústrias de transformação que produzem milhões de toneladas de gás carbônico estão pagando os tubos para quem conseguir mostrar erros nas pesquisas do IPCC e correlatas.

      Thumb up 12
    • Caro Cesar (eis alguém com quem vale a pena debater). Encontrei um texto interessante e com base em estudos científicos e não em “opiniões” (interessante notar q quando é a favor dos seus conceitos vc chama de “trabalhos” e quando são contrários vc chama de “opiniões”): http://www.fakeclimate.com/arquivos/ArtigosFake/TEC06.pdf. Gostaria de salientar que não sou cientista, apenas um curioso com tempo de pesquisa muito limitado – o que não parece ser seu caso, pois demonstra ter grande conhecimento. A questão que tento levantar é que a mídia, os governos, a ONU e congêneres tentam empurrar o aquecimento global antropogênico como uma certeza indiscutível e creio que, em ciência, TUDO É DISCUTÍVEL e qualquer teoria pode ser revista mediante novas evidências. Teorias conspiracionistas afirmam que “aquecimento global antropogênico é apenas a cortina de fumaça para esconder as verdadeiras intenções governamentais, encabeçadas pelos britânicos, norte-americanos e outros países europeus, para gerenciar nossos recursos naturais, vender produtos “verdes”, impor sanções políticas, econômicas e militares, bem como orquestrar as formas de produção e gerenciamento de energia dos países subdesenvolvidos e dos mais ricos em recursos (naturais)”. Não sei até q ponto isso é verdade, mas é sempre preciso ficar atento. Por fim é apenas minha opinião, ou seja, sem muito mérito. Aguardo seu parecer. Ave Cesar! :)

      Thumb up 3
    • Fist, agradeço a ironia e quero lembrar que não é por que são contrárias às minhas ideias que as chamo de “opiniões”. É por que são opiniões mesmo. Quando um cientista vai a um jornal e diz “isto tudo é balela” ele não está fazendo um trabalho científico, está? O que o pessoal aponta aqui são entrevistas, logo, É OPINIÃO.

      Agora, se você apresentar um trabalho científico, como o caso deste sobre a radiação cósmica, então é trabalho científico mesmo. O trabalho é interessante, mas como é que foi recebido pela comunidade científica? É que eu sigo aquela sugestão do Bertrand Russell, de considerar que se os especialistas tem um consenso, o cidadão não especialista não deve considerar a ideia contrária ao consenso como provavelmente verdadeira.

      A hipótese dos raios cósmicos já foi levada em consideração. Não sei se a Daniela Onça está trazendo alguma informação nova, mas existem trabalhos tratando disso. Não vou aqui listar todos eles, você pode dar uma lida no material que tem em http://www.skepticalscience.com/cosmic-rays-and-global-warming.htm

      Uma outra coisa que eu faço é não dar crédito a teorias conspiratórias. Quando você não tem prova nenhuma da conspiração, quando tudo que você tem são fatos não relacionados e alguém dizendo “ligue os pontos”, a gente sai do terreno sólido dos fatos e começa a voar sobre o terreno lodoso das especulações, onde as cores e amores de cada um influenciam as conclusões a que se chega.

      Thumb up 6
    • César, pessoalmente eu tendo a “acreditar” nas hipóteses de causas antropogênicas do aquecimento global, mas como não sou especialista na área, sobra me esconder sob a proteção das autoridades no assunto. Se essa proteção resolve em alguns casos, não resolve neste, em que a polêmica é ainda muito grande. O próprio IPCC da ONU tem tido mais cuidado em anunciar resultados, mas o fazia com toda a tranquilidade anos atrás. Li recentemente que as atividades humanas liberam 7 bilhões de toneladas de co2 por ano enquanto os processos naturais, como a troca de gases entre os oceanos e a atmosfera, liberam 200 bilhões de toneladas/ano. Se este dado é verdadeiro, as atividades humanas não “fazem cócegas” no clima da Terra. Segundo alguns cientistas sérios, o homem não tem poder para mudar o clima da Terra. Ainda que, como eu disse, tenda a aceitar as explicações do IPCC, a verdade é que, especialmente nesse caso, estamos longe de chegar a um consenso, como ocorre em outros casos, como a Teoria da Evolução, Teoria do Big Bang etc. Há gente de ciência, competente e ativa, trabalhando em outras linhas, na questão do aquecimento global. Veja por exemplo:
      http://www.youtube.com/watch?v=uNFVnn-HaGs
      http://www.youtube.com/watch?v=laR_d3yzcOw&playnext=1&list=PLA2C886174F1B4887&feature=results_main

      Thumb up 0
    • César, pessoalmente eu tendo a “acreditar” nas hipóteses de causas antropogênicas do aquecimento global, mas como não sou especialista na área, sobra me esconder sob a proteção das autoridades no assunto. Se essa proteção resolve em alguns casos, não resolve neste, em que a polêmica é ainda muito grande. O próprio IPCC da ONU tem tido mais cuidado em anunciar resultados, mas o fazia com toda a tranquilidade anos atrás. Li recentemente que as atividades humanas liberam 7 bilhões de toneladas de co2 por ano enquanto os processos naturais, como a troca de gases entre os oceanos e a atmosfera, liberam 200 bilhões de toneladas/ano. Se este dado é verdadeiro, as atividades humanas não “fazem cócegas” no clima da Terra. Segundo alguns cientistas sérios, o homem não tem poder para mudar o clima da Terra. Ainda que, como eu disse, tenda a aceitar as explicações do IPCC, a verdade é que, especialmente nesse caso, estamos longe de chegar a um consenso, como ocorre em outros casos, como a Teoria da Evolução, Teoria do Big Bang etc. Há gente de ciência, competente e ativa, trabalhando em outras linhas, na questão do aquecimento global. Veja por exemplo:
      http://www.youtube.com/watch?v=uNFVnn-HaGs
      http://www.youtube.com/watch?v=laR_d3yzcOw&playnext=1&list=PLA2C886174F1B4887&feature=results_main
      Assim

      Thumb up 0
    • Este “não fazer cócegas” é relativo. Se uma fonte produz 200 bilhões de toneladas e absorve 200 bilhões de toneladas, e você acrescentar uma fonte de 7 bilhões, o que vai acontecer? Você vai ter um superávit, um acréscimo de 7 bilhões de toneladas por ano. E é o que está sendo medido.

      Então esta comparação de volume de CO2 produzido é inválida, por que enquanto a natureza produz mais, ela também absorve tudo que produz, mas não consegue absorver o que o homem produz.

      Você consegue perceber onde está a falha deste argumento, de que por que a natureza produz 200 e o homem só 7, o homem não pode ser culpado?

      É como dizer que uma gota de água não pode transbordar um copo, por que no copo cabem 300ml de água. Mas se o copo já está cheio, uma gota vai transbordar.

      Thumb up 2
  12. Aqueles pinguins parece que tão dançando balé, e depois pelo visto a fumacinha que sai de escapamentos, fora o barulho e outros mais tb deve ser mito, ou “minto” …..

    Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
zoopraxiscopio
Eadweard J. Muybridge, inventor do projetor de filmes, homicida

O Google está comemo...

Fechar