Burger King vai lançar “Whopper” vegetariano nos EUA

Por , em 2.04.2019

A rede de fast food Burger King vai introduzir esta semana uma versão do seu famoso “Whopper” feito com um hambúrguer vegetariano da startup Impossible Foods no cardápio.

Chamado de “Impossible Whopper”, a tentativa representa a maior oportunidade de validação e expansão para uma indústria jovem que procura imitar e substituir a carne com alternativas baseadas em plantas.

Inicialmente, o lanche estará disponível em 59 restaurantes na área de St. Louis, nos EUA. A empresa tem planos de expandi-lo rapidamente para todas as filiais do país, no entanto, se tudo ocorrer como esperado.

Igual?

O diretor de marketing do Burger King, Fernando Machado, disse que, até agora, nos testes da empresa, os clientes e até mesmo os funcionários não conseguiram perceber a diferença entre o Whopper tradicional e o vegetariano.

“Pessoas da minha equipe que conhecem o Whopper por dentro e por fora experimentaram e tiveram dificuldade em diferenciar qual é qual”, disse Machado ao New York Times.

A expectativa da cadeia de fast food é de que o Impossible Whopper seja muito mais do que um produto de nicho. Essa é uma opção muito melhor que um antigo hambúrguer vegetariano disponível no menu da rede, que não foi feito para reproduzir o sabor e a experiência de comer carne.

O Burger King cobrará cerca de um dólar a mais pela versão sem carne de seu hambúrguer. Como se para enfatizar que o produto é para todos ao invés de veganos comprometidos, a rede irá manter a maionese que vem em cima de todos os Whoppers.

Segundo Machado, a empresa viu o aumento do número de clientes que querem cortar seu consumo de carne, especialmente a bovina e, com o Impossible, encontrou uma maneira de satisfazer essa demanda sem certas perdas que tradicionalmente vêm com alternativas vegetarianas.

Do que o Impossible é feito

A Impossible Foods já vende seu hambúrguer na rede americana White Castle, em suas mais de 380 lojas, desde o final do ano passado. Mas um lançamento nos 7.200 locais do Burger King nos EUA levaria a empresa a outro patamar.

Fundada em 2011 por Pat Brown, ex-professor da Universidade de Stanford (EUA), a companhia tem o objetivo explícito de diminuir a dependência mundial da agricultura animal. Enquanto o próprio Brown se tornou vegano motivado por seu desconforto com os custos éticos, de saúde e ambientais da carne, ele acredita que os consumidores só fariam uma mudança se tivessem um produto que satisfizesse seus desejos por carne bovina.

“Todo o nosso foco está em fazer produtos que entreguem tudo com o que os amantes da carne se importam”, disse ao New York Times.

Várias empresas estão agora à procura de alimentos à base de plantas que imitam a carne. A concorrente de Brown, Beyond Meat, baseou seus produtos em proteína de ervilha e suco de beterraba, para dar aos hambúrgueres uma aparência sangrenta.

A maior inovação da Impossible veio do uso do grupo de proteínas heme, ricas em ferro, que a empresa acredita ser responsável por grande parte do sabor característico da carne. Brown descobriu uma maneira de cultivar heme a partir das raízes das plantas de soja e produzi-lo em massa usando levedura. Esse ingrediente é combinado com outros vegetarianos que se destinam a dar ao hambúrguer a mesma textura da carne moída.

Melhor para o meio ambiente e para a saúde

Para Brown, a Impossible atende amplamente seu desejo de criar uma alternativa ambientalmente consciente à carne. A produção de carne é um dos maiores contribuintes individuais para a mudança climática, e o processo da Impossible cria apenas uma fração dos gases de efeito estufa que os tradicionais hambúrgueres produzem, de acordo com uma análise encomendada pela empresa.

Do lado da saúde, a versão vegetariana da Impossible tem aproximadamente a mesma quantidade de proteína que o Whopper regular, com 15% menos gordura e 90% menos colesterol.

O sucesso da Impossible não veio sem controvérsia, no entanto. Um grupo ambientalista pequeno criticou a companhia por levar seus novos ingredientes ao mercado sem testes adequados. Ao mesmo tempo, a organização sem fins lucrativos PETA (em português, “Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais”) acusou a Impossible de testar seu produto em ratos.

Os criadores de gado, por sua vez, reclamaram da companhia chamar seu produto de carne e promoveram legislação estadual para limitar o modo como a Impossible e outras empresas de carnes alternativas podem se vender.

Produção em massa

O hambúrguer da Impossible tem feito sucesso com o público. Depois que a White Castle adicionou o hambúrguer em seu menu em setembro do ano passado, as vendas foram fortes o suficiente para que a rede anunciasse que o adicionaria permanentemente ao seu cardápio em dezembro.

Agora, a companhia enfrentará o desafio de aumentar sua produção para atender à nova demanda. No mesmo dia em que o Burger King apresentará seu Whopper vegetariano em St. Louis, um hambúrguer feito com a mistura Impossible será apresentado em todos os 570 locais da cadeia de fast food Red Robin, com sede na Costa Oeste dos EUA.

Brown acredita que a empresa, com 350 funcionários, será capaz de atender aos pedidos em sua atual fábrica em uma área industrial perto de Oakland, na Baía de São Francisco. Eles já adicionaram uma segunda linha de produção dedicada aos hambúrgueres do Burger King.

A carne à base de vegetais para o Burger King será feita com a mesma receita dos outros produtos da Impossible, mas foi reformulada para se assemelhar ao formato do Whopper. No Burger King, o Impossible Whopper será preparado exatamente da mesma forma que o tradicional, com pão de gergelim, e envolto uma embalagem branca com a marca da companhia. [NYTimes]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (15 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!