Traje espacial flutuou livre pelo universo! Conheça o SuitSat-1

Por , em 29.04.2014

Um dos satélites mais estranhos da história da era espacial a entrar em órbita, um traje espacial flutuou para longe da Estação Espacial Internacional há oito anos, mas nenhuma investigação profunda foi conduzida.

Em 3 de fevereiro de 2006, astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (EES) empurraram o traje Orlan russo apelidado de SuitSat-1, que já tinha esgotado sua vida útil e não era mais necessário, para o espaço.

Ele foi preenchido principalmente com roupas velhas e equipado com três baterias, um transmissor de rádio e sensores internos para medir sua temperatura e energia.

A ideia veio de um grupo de astronautas liderado pelo russo Sergey Samburov, que pensou que roupas espaciais velhas podiam ganhar nova vida se tornando satélites. Conforme SuitSat circundasse a Terra, ele poderia transmitir a sua condição para o chão.

A roupa espacial de fato circulou o planeta duas vezes antes de seu sinal de rádio tornar-se inesperadamente fraco. SuitSat-1 continuou a orbitar ao nosso redor a cada 90 minutos, até ser totalmente queimado na atmosfera da Terra, depois de algumas semanas.

A foto acima, feita em 2006, mostra o traje espacial sem vida se afastando da estação. Em 7 de setembro de 2006, ele reentrou na nossa atmosfera sobre o oceano, a cerca de 1.400 km a sudoeste do Cabo Leeuwin, na Austrália Ocidental. Foi o fim dessa experiência pouco reveladora. [NASA 1 e 2]

Último vídeo do nosso canal: 4 dias infalíveis da ciência para dar o PRESENTE PER

4 comentários

  • Andre Luis:

    Que experiência mais bizarra! Mas prefiro isto do que um pobre animalzinho rs

  • WalterZ:

    Ta com cara de que eles inventaram uma historinha pra descartar lixo em um local não muito adequado.

    • Cesar Grossmann:

      Não. Levar lixo da Terra para o espaço, mesmo a órbita baixa, é MUITO CARO. E para descartar lixo da Estação Espacial Internacional eles usam o compartimento de carga que leva carga para a EEI. Na volta ele queima na reentrada e este é o fim do lixo na EEI. Deixar o lixo em órbita é perigoso, se ele colidir com um satélite pode causar prejuízo de milhões ou bilhões de dólares, sem falar que coloca em risco a vida dos astronautas.

    • Rafael Cavalheiro:

      como se fosse qualquer um que pudesse “jogar lixo no lugar errado” no espaço KKKKKK é o ESPAÇO moço não um quintal….

Deixe seu comentário!