Uma maneira simples de convencer as pessoas a vacinarem seus filhos

Por , em 21.03.2016

AVISO: Não prossiga se for sensível a conteúdo gráfico.

Contra fatos não há argumentos? Aparentemente, quando se trata de fé, essa afirmação tem pouco valor.

Na face de suas crenças, as pessoas raramente mudam de ideia, mesmo quando apresentadas a fatos sólidos que mostram que elas estão erradas. Isso acontece frequentemente, por exemplo, no tópico das vacinas.

O problema da vacinação

Pais que têm medo de vacinar seus filhos porque acreditam que isso vai fazer mais mal do que bem às crianças (como o mito já muitas vezes desmentido de que vacinas causam autismo) estão criando um enorme problema de saúde na sociedade.

Conforme o número de pais que se recusam a vacinar seus filhos aumenta, aumenta também o número de casos de sarampo, por exemplo. Só nos EUA, essa doença uma vez declarada “eliminada” – com 60 casos por ano, em média, entre 2001 e 2010 – tem experimentado um retorno, com 644 casos no ano passado.

Os sintomas iniciais do sarampo são febre, tosse, irritação ocular e corrimento do nariz. Manchas avermelhadas seguem. Dependendo da seriedade, a doença pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, ataques (convulsões e olhar fixo), lesão cerebral e morte.

Os sintomas iniciais do sarampo são febre, tosse, irritação ocular e corrimento do nariz. Manchas avermelhadas seguem. Dependendo da seriedade, a doença pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, ataques (convulsões e olhar fixo), lesão cerebral e morte.

Um estudo recente da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign (EUA) publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences sugere que a forma mais eficaz de persuadir os pais a mudar de atitude sobre as vacinas não é dizer-lhes que eles estão errados, mas sim introduzir novos fatos – como fotos de crianças doentes com as condições que poderiam ser evitadas graças a imunização.

A pesquisa

315 pessoas foram divididas em três grupos após seus sentimentos sobre as vacinas terem sido avaliados.

Um grupo recebeu a descrição de um pai de como era como ter um filho doente, avisos sobre a importância da vacinação, e fotos de uma criança com sarampo, rubéola ou caxumba.

A caxumba causa geralmente inchaço das glândulas salivares, além de febre, dor, fadiga e fraqueza. As complicações são potencialmente sérias, mas raras, como inflamação e inchaço em alguma parte do corpo (testículos, pâncreas, ovários, cérebro), perda de audição e meningite.

A caxumba causa geralmente inchaço das glândulas salivares, além de febre, dor, fadiga e fraqueza. As complicações são potencialmente sérias, mas raras, como inflamação e inchaço em alguma parte do corpo (testículos, pâncreas, ovários, cérebro), perda de audição e meningite.

Outro grupo recebeu informações sobre a ausência de uma ligação entre vacinas e autismo. Um terceiro grupo recebeu panfletos sobre um tópico científico independente.

“O que está acontecendo com os pais antivacinação, pensamos, é que eles não têm visto as crianças com sarampo e caxumba, essas consequências não são tão reais para eles. E a outra consequência, a suposta ligação entre a vacinação e autismo, é”, disse um dos autores do estudo, Zach Horne, estudante de psicologia.

Resultados

Horne e seus colegas descobriram que a tentativa de derrubar a crença original com fatos foi ineficaz.

As pessoas que receberam informações sobre as últimas pesquisas científicas sobre a ausência de uma ligação entre autismo e vacinas mudaram de atitude tanto quanto o grupo que leu um material científico não relacionado a vacinas.

Já aqueles que avaliaram as histórias e fotos de crianças doentes de fato se sentiram mais positivos em relação a vacinas. Essas mudanças foram maiores em pessoas que estavam céticas no início.

A rubéola causa febre baixa e surgimento de gânglios linfáticos e de manchas rosadas no corpo todo. Apesar de não ser grave, é particularmente perigosa na forma congênita. Neste caso, pode deixar sequelas irreversíveis como glaucoma, catarata, malformação cardíaca, retardo no crescimento, surdez e outras.

A rubéola causa febre baixa e surgimento de gânglios linfáticos e de manchas rosadas no corpo todo. Apesar de não ser grave, é particularmente perigosa na forma congênita. Neste caso, pode deixar sequelas irreversíveis como glaucoma, catarata, malformação cardíaca, retardo no crescimento, surdez e outras.

Este estudo por si só não é suficiente para mudar a política sobre vacinação dos governos, mas sugere que as autoridades de saúde devem pensar em estratégias diferentes para apresentar informações sobre os riscos de doenças e vacinas – o poder de uma imagem de uma criança em sofrimento pode superar o das palavras sobre possibilidades “distantes”. [TheWashingtonPost]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,33 de 5)

Deixe seu comentário!